Hunters World

Desvendando as Falsas Fotos de Fantasmas





"A imagem de fundo é um anaglifo de um corredor japonês, e a fantasma é muito famosa, depois de surgir em um cemitério, causou pânico e foi até capturada em vídeo. Não é tão boa quanto a menina no corredor original, mas é difícil encontrar meninas de vestidos pretos segurando bonecas enforcadas."






"A foto é antiga, tomada por um fotógrafo britânico em um cemitério da Malásia depois da Segunda Guerra. Quando ele tirou a fotografia, não viu nada de mais, porém quando a revelou, lá estava a mulher. Assim que ele viu a imagem, adoeceu e começou a ter pesadelos, enquanto ela aparecia em seus sonhos tentando dizer algo. O fotógrafo foi a uma médium e descobriu que o fantasma pertencia a uma alma atormentada. A garota havia sido estuprada e assassinada por soldado japonês, assim ela quer encontrar o assassino para se vingar. Ela visitará todas as casas até encontrá-lo, a menos que... você envie a imagem a 50 pessoas, ou também terá pesadelos."


"Esse cara da foto foi passear em Sundarbans com amigos e pediu para um deles tirar uma foto. Quando o amigo estava tirando a foto, ele deu um grito e desmaiou, morrendo dois dias depois. Foi diagnosticado um ataque cardiaco. Quando revelaram a foto, havia uma mulher parada do lado do cara. Os amigos juram que ele estava sozinho. Muitas pessoas dizem que isso é montagem. Mas a foto realmente é assustadora. Um oficial da marinho enviou para 13 pessoas e foi promovido. Um executivo jogou fora e perdeu o emprego. Portanto, não seja estupido. Envie para 13 pessoas e algo de bom acontecerá a você. Não envie para a pessoa que te enviou."







Há quem fale que estas três fotos são verdadeiras podem até ser que sejam mesmas, mas eu não acredito que sejam, se você analisar bem as duas primeiras fotos vão ver que elas são identicas a não ser pelo fundo da foto. Esse efeito é bem facil de se conseguir qualquer editor de foto barato pode dar esse efeito.
Já a terceira foto tem um fundo duvidoso como o de qualquer filme de faroeste antigo sabe, aquela tela pintada com um cenario falso, e podemos perceber que esse fantasma esta esta maior ou seja ele foi ampliado.
Você tem duvidas que estas fotos são falsas? Eu não! Mas a opinião de cada um é algo particular.
fotos retiradas do site: http://www.ceticismoaberto.com/fotos/

S. S. Watertown



Os fantasmas do S.S. Watertown são fantasmas diferentes, feitos de água salgada. Eles faziam parte da tripulação do navio explorador Watertown, e morreram de enjôo do mar. Os fantasmas aquáticos fizeram questão de acompanhar a trajetória do navio Watertown em sua exploração marítima. É uma das fotos mais famosas, e também uma das mais antigas.

A foto foi tirada em 1924, pelo capitão do navio SS Watertown. Apesar da semelhança, os fantasmas da foto não são Adolf Hitler e George Washington. Eles eram parte da tripulação. Eles limpavam o convés do navio quando bateu um enjôo forte, e a síndrome de John Bonham atacou os dois. Morreram e foram jogados ao mar, o típico funeral naval. Alguns dias depois, a tripulação começou a ver os rostos dos tripulantes mortos na água do mar, na espuma. Os rostos estavam seguindo o navio, pois, apesar de mortos, queriam fazer parte das descobertas também.
Os tripulantes estavam amedrontados demais para tirarem fotos dos fantasmas, então o corajoso capitão do navio teve o trabalho de registrar o momento. Os dois tripulantes posaram para a foto. Depois disto, comemoraram. Os tripulantes tomavam
vinho e os fantasmas tomavam água do mar. Mas depois do morto, nada mais tem o mesmo gosto, então não fez diferença para eles tomar a água do mar pensando ser vinho. A foto chocou o planeta nesta época.

Por ser muito antiga, a foto tem uma qualidade quase não tão boa. Mas além das duas cabeças fantasmas dos tripulantes, outras cabeças e rostos podem ser vistos na foto.
No canto superior direito você pode ver a cabeça do Frankenstein, bem no topo. Entre as duas cabeças, um pouco abaixo, você pode ver a coruja O RLY. No canto esquerdo você pode ver 4 rostos diferentes: O primeiro rosto, bem nítido, de alguma mulher. Logo ao lado, um pouco mais pra direita (pegando pedaços do rosto da mulher), o rosto de uma senhora velha. Um pouco mais ao lado, encostado na velha, um rosto de um bebê e, ao lado do bebê, um rosto de um homem com a boca aberta e um dente de Mônica ou Ronaldinho aparecendo. Na verdade tem muitos outros rostos que você pode achar, só precisa um pouco de imaginação. Quando não tiver nada pra fazer na Internet, brinque procurando outros rostos nesta imagem.

A doença mais antiga do mundo

A doença conhecida mais antiga do mundo é a lepra, cujos primeiros registros datam de 1350 a.C..

Apesar da idade, um tratamento rápido e eficaz contra ela só foi descoberto no início dos anos 80, com o desenvolvimento da poliquimioterapia.

A moléstia é causada pela bactéria Mycobacterium leprae, e ataca principalmente os nervos e pele, podendo causar deformações em estágios mais avançados. Devido ao preconceito com o qual a doença é encarada, seu nome foi mudado no Brasil para hanseníase.


Fonte: Site de Curiosidades

10 Doenças mais estranhas do mundo




Uma pesquisa do jornal australiano Sydney Morning Herald relacionou algumas das síndromes mais estranhas que atingem o ser humano. Podem parecer doideiras, mas para cada uma dessas doenças existe um batalhão de médicos tentando descobrir a causa. E principalmente a cura.



1. SÍNDROME DO SOTAQUE ESTRANGEIRO

Após sofrer uma pancada ou qualquer outro tipo de lesão no cérebro, as vítimas desse distúrbio passam a falar com sotaque francês... ou italiano... ou espanhol. A língua varia, mas, na maioria dos casos, as vítimas desconhecem o novo idioma. Segundo cientistas, a pronúncia não é efetivamente estrangeira, só dá a impressão disso. Pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, acreditam que o sintoma é causado por um trauma em áreas do cérebro responsáveis pela linguagem, provocando mudanças na entonação, na pronúncia e em outras características da fala. Um caso bem recente da síndrome do sotaque rolou com a britânica Lynda Walker, no mês passado. Após um infarto, Lynda acordou falando com sotaque jamaicano.

2. SÍNDROME DE CAPGRAS

Após sofrer uma desilusão com o cônjuge, com os pais ou com qualquer outro parente, a pessoa passa a acreditar que eles foram seqüestrados e substituídos por impostores. O sintoma por vezes se volta contra a própria vítima: ao se olhar no espelho, ela também acredita que está vendo a imagem de um farsante. Neurose total! O problema tende a atingir mais pessoas a partir dos 40 anos e suas causas ainda não são conhecidas. A síndrome foi descoberta pelo psiquiatra francês Jean Marie Joseph Capgras, que a descreveu pela primeira vez em 1923. Em graus mais extremos, a vítima acha que até objetos inanimados, como cadeiras, mesas e livros, foram substituídos por réplicas exatas.

3. SÍNDROME DA MÃO ESTRANHA

"Minha mão agiu por conta própria..." Essa desculpa usada por alguns cafajestes pode ser verdadeira. A síndrome em questão alien hand syndrome, em inglês faz com que uma das mãos da vítima pareça ganhar vida própria. O problema atinge principalmente pessoas com lesões no cérebro ou que passaram por cirurgias na região. O duro é que o doente não presta atenção na mão boba, até que ela faça alguma besteira. A mão doida é capaz de ações complexas, como abrir zíperes... Os efeitos da falta de controle sobre a mão podem ser reduzidos dando a ela uma tarefa qualquer, tarefa qualquer, como segurar um objeto.

4. SÍNDROME DE ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS

Doença que provoca distorções na percepção visual da vítima, fazendo com que alguns objetos próximos pareçam desproporcionalmente minúsculos. O distúrbio foi descrito pela primeira vez em 1955, pelo psiquiatra inglês John Todd, que o batizou em homenagem ao livro de Lewis Carroll. Na obra, a protagonista Alice enxerga coisas desproporcionais, como se estivesse numa "viagem" provocada por LSD. As vítimas da síndrome também vêem distorções no próprio corpo, acreditando que parte dele está mudando de forma ou de tamanho.

5. PICA

Esse nome também estranho não tem nada de pornográfico: pica é uma palavra latina derivada de pêga, um tipo de pombo que come qualquer coisa. E a pica a síndrome, é claro... faz exatamente isso: a pessoa sente um apetite compulsivo por coisas não comestíveis, como barro, pedras, tocos de cigarros, tinta, cabelo... O problema atinge mais grávidas e crianças. Após comerem muita porcaria involuntariamente, os glutões ficam com pedras calcificadas no estômago.Em 2004, médicos franceses atenderam um senhor de 62 anos que devorava moedas. Apesar dos esforços, ele morreu. Com cerca de 600 dólares no estômago...

6. MALDIÇÃO DE ONDINAO

Nome bizarro é uma referência a Ondina, ninfa das águas na mitologia pagã européia. A doença, mais estranha ainda, faz com que as vítimas percam o controle da respiração.Se não ficar atento, o sujeito simplesmente esquece de respirar e acaba sufocado! A síndrome foi descoberta há 30 anos e já existem cerca de 400 casos no mundo. Pesquisadores do hospital Enfants Malades, de Paris, acreditam que a doença esteja relacionada com um gene chamado THOX2B. O sistema nervoso central se descuida da respiração durante o sono e o doente precisa dormir com um ventilador no rosto para não ficar sem ar!

7. SÍNDROME DE COTARD

Depressão extrema, em que o doente passa a acreditar que já morreu há alguns anos. Ele acha que é um cadáver ambulante e que todos à sua volta também estão mortos. Em casos extremos, o sujeito diz que pode sentir sua carne apodrecendo e vermes passeando pelo corpo... Na fase final, a vítima deixa até de dormir e sua ilusão pode efetivamente se tornar realidade. O nome da doença faz referência ao médico francês Jules Cotard, que a descreveu pela primeira vez em 1880. Apesar de depressivo e certo de que está morto, o doente, contraditoriamente, também pode apresentar idéias megalomaníacas, como a crença na própria imortalidade.

8. SÍNDROME DE RILEY-DAY

Se você já sonhou em nunca mais sentir nenhuma dor, cuidado com o que pede... As vítimas dessa doença não sentem dores, mas isso é um problemão. Elas ficam muito mais sujeitas a sofrer acidentes porque param de registrar qualquer aviso de dano nos tecidos do corpo, como cortes ou queimaduras. A doença é causada por uma mutação no gene IKBKAP do cromossomo 9 e foi descrita pela primeira vez pelos médicos Milton Riley e Richard Lawrence Day. Sem o aviso de perigo que a dor proporciona às pessoas comuns, a maioria dos doentes com a síndrome de Riley-Day tende a morrer jovem, antes dos 30 anos, por causa de ferimentos.

9. SÍNDROME DA REDUÇÃO GENITAL

Também conhecido como koro, esse distúrbio mental deixa a pessoa convencida de que seus genitais estão desaparecendo. A maioria dos casos até hoje foi relatada em países da Ásia ou da África, e em muitos deles a síndrome parece ter sido contagiosa! Um dos episódios mais estranhos ocorreu em Cingapura, em 1967, quando o serviço de saúde local registrou centenas de casos de homens que acreditavam que seu pênis estava sumindo. Um único caso da síndrome da redução genital foi registrado até hoje no Brasil, no Instituto de Psiquiatria da USP. Convencido de que seu pênis estava sumindo, o doente tentou se matar com duas facadas no abdômen!

10. CEGUEIRA EMOCIONALA

Expressão "cego de emoção" existe na prática, e pode acontecer com qualquer pessoa normal. O problema foi descoberto recentemente por pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Depois de olhar para alguma imagem forte, principalmente com conteúdo pornográfico, a maioria das pessoas perde a vista por um curto espaço de tempo - décimos de segundo na verdade. Até agora, nenhum especialista conseguiu explicar o porquê dessa reação. A descoberta da cegueira emocional deu origem a um movimento no Congresso americano para que seja banida toda a publicidade com apelo erótico em grandes rodovias do país.


Aparição de Virgem Maria No Texas

Devotos passaram a cultuar uma assadeira após cozinheiras de uma escola no Texas encontrarem imagem similar a de Virgem Maria na base da mesma. Céticos dizem que se parece mais com uma mancha aleatória disforme.

Mas, após tentativas fervorosas de removê-la falharem, rumores de uma aparição divina se espalharam e agora peregrinos aglomeram-se em um santuário provisório em devoção a Santa.

Guadalupe Rodriguez, funcionária da cantina que primeiro viu as marcas disse: "Na terceira lavagem comecei a olhar tentando descobrir o que era, me pareceu que era a Virgem Maria".

A aluna Anel Vila disse: "Me disseram que a Virgem estava na cafeteria, Eu corri pra lá para ver, Meu Deus era a Virgem. Eu chorei quando a vi com meus próprios olhos".

A diretora, Lyda Guerrero disse: "Acho que alguém estava nos vigiando. Acho que alguém está vigiando esta comunidade, este distrito escolar e esta escola".

Um novo santuário foi armado agora, no lado de fora de uma casa de um membro da associação de pais e mestres, mas outros clamam por sua custódia.

No passado, a Virgem Maria já apareceu em sanduíches de queijo na Flórida, em uma passagem subterrânea em Chicago e em uma bolha no chocolate em uma fábrica na Califórnia.



Fontes:CBS News Videos
Metro.co.uk

O Santo Graal

Em um país de maioria católica como Portugal, a figura do Graal é tida, comummente, como a da taça que serviu Jesus durante a Última Ceia e na qual José de Arimatéia teria recolhido o sangue do Salvador crucificado proveniente da ferida no flanco provocada pela lança do centurião romano Longino . A Igreja Católica não dá ao cálice mais do que um valor simbólico e acredita que o Graal não passa de literatura medieval, apesar de reconhecer que alguns personagens possam realmente haver existido.

É provável que as origens pagãs do cálice tenham causado descontentamento à Igreja.

A etimologia da palavra Graal é um tanto duvidosa, mas costuma-se considerá-la como oriunda do latim gradalis - cálice. Com o brilho resplandecente das pedras sobrenaturais, o Graal, na literatura, às vezes aparece nas mãos de um anjo, às vezes aparece sozinho, movimentando-se por conta própria; porém a experiência de vê-lo só poderia ser conseguida por cavaleiros que se mantivessem castos. Transportado para a história do Rei Arthur, onde nasce o mito da taça sagrada, encontramos o rei agonizante vendo o declínio do seu reino. Em uma visão, Arthur acredita que só o Graal pode curá-lo e tirar a Bretanha das trevas.

Manda então seus cavaleiros em busca do cálice, fato que geraria todas as histórias em torno da Busca do Graal.
É interessante notar que a água é uma constante na história de Arthur. É na água que a vida começa, tanto a física como a espiritual. Arthur teria sido concebido ao som das marés, em Tintagel, que fica sob o castelo do Duque da Cornualha; tirou a Bretanha das mãos bárbaras em doze batalhas, cinco das quais às margens de um rio; entregou sua espada, Excalibur, ao espírito das águas e, ao final de sua saga, foi carregado pelas águas para nunca mais morrer. Certo de que sua hora havia chegado, Arthur pede a Bedivere que o leve à praia, onde três fadas (elemento ar) o aguardam em uma barca. "Consola-te e faz quanto possas porque em mim já não existe confiança para confiar. Devo ir ao vale de Avalon para curar a minha grave ferida", diz o rei. Avalon é a mítica ilha das macieiras onde vivem os heróis e deuses celtas e onde teria sido forjada a primeira espada de Arthur - Caliburnius.

Na Cornualha, o nome Avalon - que em galês refere-se à maçã - é relacionado com a festa das maçãs, celebrada durante o equinócio de Outono. Acreditam alguns que Avalon é Glastonbury, onde tanto Arthur quanto Guinevere teriam sido enterrados. A abadia de Glastonbury, onde repousaria o casal, é tida também como o lugar de conservação do Graal.

Diz-se que durante sua permanência na Cornualha, Jesus havia recebido em dádiva um cálice de um druida convertido ao cristianismo (isto entendido como "o que era pregado por Cristo"), e por aquele objecto Jesus tinha um carinho especial. Após a crucificação, José de Arimatéia quis levá-lo, santificado pelo sangue de Cristo, ao seu antigo dono, o druida, que era Merlin, traço de união entre a religião celta e a cristã.

É na obra de Robert de Boron, José de Arimatéia, que o mito retrocede no templo até chegar a Cristo e à última Ceia. José de Arimatéia era um judeu muito rico, membro do supremo tribunal hebreu - o Sinédrio. É ele que, como visto nos evangelhos, pede a Pilatos o corpo de Jesus para ser colocado em um sepulcro em suas terras.
Boron conta que certa noite José é ferido na coxa por uma lança (perceba também, sempre presente, as referências às lanças e espadas, símbolos do fogo, tanto nas histórias de Jesus como de Arthur). Em outra versão, a ferida é nos genitais e a razão seria a quebra do voto de castidade. Este fato está totalmente relacionado à traição de Lancelot que seduz Guinevere, esposa de Arthur.
Após a batalha entre os dois, a espada de Arthur, Caliburnius, é quebrada - pois é usada para fins mesquinhos - e jogada em um lago onde é recolhida pela Dama do Lago antes que afunde. Depois lhe é oferecida outra espada, esta sim, Excalibur. Somente uma única vez Boron chama a taça de Graal. Em um inciso, ele deduz que o artefacto já tinha uma história e um nome antes de ser usado por Jesus: "eu não ouso contar, nem referir, nem poderia fazê-lo (...) as coisas ditas e feitas pelos grande sábios. Naquele tempo foram escritas as razões secretas pelas quais o Graal foi designado por este nome".

José de Arimatéia foi, portanto, o primeiro custódio do Graal.O segundo teria sido seu genro, Bron. Algumas seitas sustentam que o ciclo do Graal não estará fechado enquanto não aparecer o terceiro custódio.Esta resposta parece vir com A Demanda do Graal, de autor desconhecido, que coloca Galahad como único entre os cavaleiros merecedor de se tornar guardião do Graal.




A Polêmica do Décimo Terceiro Signo

Nos últimos tempos, temos visto alguma polêmica e alguns mal-entendidos no que diz respeito aos signos do zodíaco e às constelações que o mesmo contém. Na verdade, não devemos fazer confusão entre signo e constelação zodiacal. Os signos, em número de doze, correspondem cada um à divisão de 30 graus do círculo zodiacal ( 360 /12 = 30), os quais recebem o nome da constelação mais significativa daquela região do céu conforme os povos antigos que criaram tal concepção de organização estelar, e que a Astrologia adotou e ajudou a popularizar.

As constelações sempre tiveram, desde a época das civilizações mais antigas, a importante função de dar uma organização ao céu, facilitando sua leitura e ajudando na identificação dos astros. Sempre representaram uma verdadeira cartografia do céu. Acontece, contudo, que até o início deste século, a delimitação das constelações não respeitava um critério padrão, existindo cartas celestes com limites irregulares, além de arbitrários e ainda com algumas linhas curvas. Havia também mapas e globos celestes com configurações artisticamente elaboradas, sem a precisão do rigor científico, como ainda constelações que eram identificadas por linhas arbitrárias que interligavam suas estrelas.

Foi a partir de 1922, quando da criação da União Astronômica Internacional (UAI), que o conceito de constelação começou a mudar e surgiu Ofiúco (Ophiucus) como uma 13a constelação zodiacal. Durante a assembléia geral da UAI em 1925, em Cambridge, foi criado um grupo de trabalho para estudar a questão das delimitações das constelações, surgindo daí a proposta de criação de regiões na esfera celeste, tal como um país dividido em estados. Assim, a esfera celeste foi dividida em 88 regiões, também chamadas constelações, com tamanhos variados e delimitações bem definidas e retilíneas. Cada região recebeu o nome da principal constelação nela predominante e todas aquelas cortadas pela linha da eclíptica (linha que no céu, vista da Terra, representa o caminho percorrido pelo Sol durante o ano) passaram a ser consideradas zodiacais.

Convém explicar que o zodíaco é um círculo ou faixa de 17 graus no céu, que abrange toda a esfera celeste e que tem no centro a linha da eclíptica. Foi desta forma, então, que o zodíaco acabou por ser premiado com 13 regiões ou constelações, que são: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Ofiúco, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes. Convém salientar novamente que para ser considerada zodiacal a constelação deve ser atravessada pela linha da eclíptica, ou seja, o sol deve cruzá-la ao longo do ano. Acontece que depois de passar por Libra e Escorpião, o sol cruza Ofiúco de 30 de novembro a 17 de dezembro, antes de entrar em Sagitário. Porém, esta passagem do sol por Ofiúco não é considerada pela astrologia.

Do modo como foi organizado o céu pela UAI, todas as treze constelações ocupam espaços diferentes ao longo da linha da eclíptica, o que significa dizer que a divisão do zodíaco em doze signos de trinta graus cada um é puramente arbitrária e segue apenas a tradição dos povos antigos. Ofiúco é uma constelação um tanto extensa, sendo conhecida também por Serpentário. Na mitologia grega, este agrupamento de estrelas estava associado a Esculápio, deus da medicina. Segundo a lenda, Esculápio passou a dedicar-se à arte da cura após ver uma serpente ressuscitar outra com algumas ervas que trazia em sua boca.

Esta é, inclusive, a origem do símbolo das ciências médicas: duas serpentes enroladas num bastão. Ainda sobre esta constelação, diz-nos o saudoso professor Amaro Seixas Netto:

"Em realidade, o Zodíaco atual tem treze constelações. Desde 1952, temos adotado esta Constelação Zodiacal em nossos estudos, criando assim o Zodíaco perfeito e exato sobre a Eclíptica. Esta descoberta decorreu duma análise profunda do curso do Sol zodiacal, e deste modo propusemos a sua notação na Faixa Zodiacal bem como criamos o seu signo, publicado na Imprensa para registro. Pode observar-se que o Sol, no Zodíaco, percorre pequena parte do Escorpião e logo entra no Ofiuco, para depois ingressar em Sagitário." SEIXAS NETTO, A. O zodíaco. São Paulo : Editora do Escritor, p[agina 60.

Para alguns astrólogos, a polêmica a respeito da existência de um 13° signo não faz sentido, haja vista que não são as constelações lá no céu que influenciam os seres aqui na Terra e sim energias cósmicas que tomam como referência os signos tradicionais. Há também opiniões que procuram justificar que tanto a cobra (Ofiúco) como o escorpião são animais que trocam de pele, indicando uma personalidade sujeita a grandes flutuações, e que, neste caso, Ofiúco vem a ter o mesmo significado astrológico de Escorpião.Portanto, apesar de termos 13 constelações zodiacais, com a inclusão de Ofiúco, a divisão do zodíaco em doze signos, para efeito da astrologia, segue a antiga tradição e não precisa levar em consideração as mudanças estabelecidas pela UAI, o que muitos astrônomos consideram uma imperfeição. E como a divisão do zodíaco em signos não apresenta nenhum interesse prático maior para a astronomia, o surgimento de Ofiúco como região zodiacal em nada deverá abalar as crenças e os estudos astrológicos, pois os astrólogos sabem que suas concepções não partem das constelações e sim dos signos, que são meras convenções.






Paulo Araújo Duarte. Professor de Astronomia do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina.
Autor: Sandra Regina da Luz Inácio

Filmes Recomendados

Tamanho: 327 Mb
Áudio: Português
Legenda: S / L
Formato: RMVB
Qualidade: DVD-Rip
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2005
Download Megaupload
Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Tamanho: 284 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: RMVB
Qualidade: DVD-Rip
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2008
Download Megaupload
Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Tamanho: 289 Mb
Áudio: Português
Legenda: S / L
Formato: RMVB
Qualidade: DVD-Rip
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2005
Download Megaupload
Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Tamanho: 340 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: RMVB
Qualidade: DVD-Rip
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2007
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 311 Mb
Áudio: Português
Legenda: S/L
Formato: Rmvb
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2008
Parte 1: EasyShare/RapidShare
Parte 2: EasyShare/RapidShare
Parte 3: EasyShare/RapidShare
Parte 4: EasyShare/RapidShare

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 305 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: Rmvb
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2008
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 275 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: Rmvb
Gênero: Terror/Suspense
Ano de Lançamento: 2008
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 344 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: Rmvb
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 1985
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 295 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: Rmvb
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 1990
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 286 Mb
Áudio: Inglês
Legenda: Português
Formato: Rmvb
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2008
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 690 Mb
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Avi
Gênero: Suspense/Terror
Ano de Lançamento: 1985
Download MandaMais

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyner FIlmes

Tamanho: 330 Mb
Áudio: Português
Legenda: Inglês
Formato: Rmvb
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2003
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 652 Mb
Áudio: Português e Inglês
Legenda: Sl
Formato: Avi
Gênero:
Ano de Lançamento: 2002
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber fILMES
Tamanho: 698 Mb
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Avi
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2004
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 825 Mb
Áudio: Português e Inglês
Legenda: Sl
Formato: Avi
Gênero: Drama,Terror
Ano de Lançamento: 2003
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes

Tamanho: 570 Mb
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Avi
Gênero: Terror
Ano de Lançamento: 2007
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 700 Mb
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Avi
Gênero:Terror
Ano de Lançamento: 2008
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Coleção Jogos Mortais:


Cyber Filmes
Tamanho: 335MB
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Rmvb
Gênero: Horror
Ano de Lançamento: 2004
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber filmes - Filmes Avi

Tamanho: 305 Mb
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Rmvb
Gênero: Horror
Ano de Lançamento: 2005
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 352MB
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Rmvb
Gênero: Horror
Ano de Lançamento: 2006
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org


Cyber Filmes
Tamanho: 267 Mb
Áudio: Português
Legenda: Sl
Formato: Rmvb
Gênero: Horror
Ano de Lançamento: 2007
Download Megaupload

Fonte: http://www.cyberfilmes.org

......................................................................................................................................................................................

Ararapira - Um vilarejo abandonado

O Bairro fantasma

Igreja Abandonada


O antigo e pequeno vilarejo de Ararapira (cabeceira de arara), surgido nas margens do braço do mar, foi se acreditando em construir um povoado de prosperiedade.
Hoje, Ararapira não passa de uma cidadezinha abandonada, em suas poucas e singelas casas não se vêem os habitantes; as crianças já não estão mais nas ruas com os pés descalço correndo atrás de borboletas; os pescadores que tiravam do mar o sustento de casa, pegaram seus apetrechos, suas famílias e foram tentar viver em outro lugar; o comércio faliu; a escola parou; o cemitério se calou; na Igrejinha não se houve mais as lamentações das senhoras, o badalo do sino e nem os sermões do fiel Padre que também abandonou o vilarejo.
Tudo aconteceu, foi inevitável lutar contra 'aquilo' donde tiravam o sustento, de onde se avistava o horizonte...o mar se enfureçeu, não se sabe por que razão, mas Ararapira aos poucos foisendo de certa forma engolida pelas águas, abandonada pelos seus habitantes e parada no tempo. Enquanto o resto das casinhas vão desaparecendo, um pequeno importante pedaço histórico do Brasil vai ficando guardado apenas na memória dos últimos sobreviventes."













Vila esquecida

Tirado do site:http://cananeia.net/ararapira.php


Índia: a cidade fantasma de Bhangarh


As cidades fantasma não são uma invenção americana. Se procurarmos bem, em cada canto do mundo é possível encontrar pelo menos uma, como Bhangarh, no Rajasthan indiano. A cidade sofreu um estranho destino. Se é verdade que foi fundada em 1635 e foi abandonada apenas dez anos depois por causa da maldição de um bruxo que se apaixonou perdidamente pela belíssima princesa que vivia no palácio real. Desde então, mais ninguém morou ali e quem vem para admirar o que restou dos templos, costuma vir sempre durante o dia, nunca à noite.


As ruínas de Bhangarh cobrem uma vasta área, muito frequentada pelos turistas, que parecem gostar sobretudo do Palácio das prostitutas. Toda a área é protegida pelo governo indiano, que criou um órgão para continuar os estudos sobre a cidade. Os malignos e quem acredita na lenda fazem notar que os escritórios curiosamente não foram construídos na área arqueológica onde é atribuída a maldição “noturna” e sim a alguns quilômetros de distância, onde também foi construído o Amanbagh resort, um hotel extra luxuoso, bom ponto de partida para os que pretendem visitar a zona.


escrito por: Maíra em 28 outubro 2008

A Bruxa de Gwrach-Y-Rhibyn

O significado do nome Gwrach-y-rhibyn, literalmente é "Bruxa da Bruma" mas é mais comumente chamada de "Bruxa da Baba". Dizem que parece com uma velha horrenda, toda desgrenhada, de nariz adunco, olhos penetrantes e dentes semelhantes a presas. De braços compridos e dedos com longas garras, tem na corcunda duas asas negras escamosas, coriáceas como a de um morcego.



Por mais diferente que ela seja da adorável banshee irlandesa, a Bruxa da Baba do País de Gales lamenta e chora quando cumpre funções semelhantes, prevendo a morte. Acredita-se que a medonha aparição sirva de emissária principalmente às antigas famílias gaulesas. Alguns habitantes de Gales até dizem ter visto a cara dessa górgona; outros conhecem a velha agourenta apenas por marcas de garras nas janelas ou por um bater de asas, grandes demais para pertencer a um pássaro.



Uma antiga família que teria sido assombrada pela Gwrach-y-rhibyn foi a dos Stardling, do sul de Gales. Por setecentos anos, até meados do século XVIII, os Stardling acuparam o Castelo de São Donato, no litoral de Glamorgan. A família acabou por perder a propriedade, mas parece que a Bruxa da Baba continuou associando São Donato aos Stardling. Uma noite, um hóspede do Castelo acordou com o som de uma mulher se lamuriando e gemendo abaixo de sua janela. Olhou para fora, mas a escuridão envolvia tudo. Em seguida ouviu o bater de asas imensas. Os misteriosos sons assustaram tanto o visitante que este voltou para cama, não sem antes acender uma lâmpada que ficaria acesa até o amanhecer. Na manhã seguinte, indagando se mais alguém havia ouvido tais barulhos, a sua anfitriã confirmou os sons e disse que seriam de uma Gwrach-y-rhibyn que estava avisando de uma morte na família Stardling.



Mesmo sem haver um membro da família morando mais no casarão, a velha bruxa continuava a visitar a casa que um dia fora dos Stardling. Naquele mesmo dia, ficou-se sabendo que o último descendente direto da família estava morto.


Escrito por:Mariana Moreira em 22 de Outubro de 2003

Ervas de Exú

Amendoeira: Seus galhos são usados nos locais em que o homem exerce suas atividades lucrativas. Na medicina caseira, seus frutos são comestíveis, porém em grande quantidades causam diarréia de sangue. Das sementes fabrica-se o óleo de amêndoas, muito usado para fazer sabonetes por ter efeitos emolientes, além de amaciar a pele.

Amoreira: Planta que armazena fluidos negativos e os solta ao entardecer; é usada pelos sacerdotes no culto a Eguns. Na medicina caseira, é usada para debelar as inflamações da boca e garganta.

Angelim-amargoso: Muito usado em marcenaria, por tratar-se de madeira de lei. Nos rituais, suas folhas e flores são utilizadas nos abô dos filhos de Nanã, e as cascas são utilizadas em banhos fortes com a finalidade de destruir os fluidos negativos que possam haver, realizando um excelente descarrego nos filhos de Exu. A medicina caseira indica o pó de suas sementes contra vermes. Mas cuidado! Deve ser usada em doses pequenas.

Aroeira: Nos terreiros de Candomblé este vegetal pertence a Exu e tem aplicação nas obrigações de cabeça, nos sacudimentos, nos banhos fortes de descarrego e nas purificações de pedras. É usada como adstringente na medicina caseira, apressa a cura de feridas e úlceras, e resolve casos de inflamações do aparelho genital. Também é de grande eficácia nas lavagens genitais.

Arrebenta Cavalo : No uso ritualístico esta erva é empregada em banhos fortes do pescoço para baixo, em hora aberta. É também usado em magias para atrair simpatia. Não é usada na medicina caseira.

Arruda: Planta aromática usada nos rituais porque Exu a indica contra maus fluidos e olho-grande. Suas folhas miúdas são aplicadas nos ebori, banhos de limpeza ou descarrego, o que é fácil de perceber, pois se o ambiente estiver realmente carregado a arruda morre. Ela é também usada como amuleto para proteger do mau-olhado. Seu uso restringe-se à Umbanda. Em seu uso caseiro é aplicada contra a verminose e reumatismos, além de seu sumo curar feridas.

Avelós – Figueira-do-diabo: Seu uso se restringe a purificação das pedras do orixá antes de serem levadas ao assentamento; é usada socada. A medicina caseira indica esta erva para combater úlceras e resolver tumores.

Azevinho: Muito utilizada na magia branca ou negra, ela é empregada nos pactos com entidades. Não é usada na medicina popular.

Bardana: Aplicada nos banhos fortes, para livrar o sacerdote das ondas negativas e eguns. O povo utiliza sua raiz cozida no tratamento de sarnas, tumores e doenças venéreas.

Beladona : Nas cerimônias litúrgicas só tem emprego nos sacudimentos domiciliares ou de locais onde o homem exerça atividades lucrativas. Trabalhos feitos com os galhos desta planta também provocam grande poder de atração. Pouco usada pelo povo devido ao alto princípio ativo que nela existe. Este princípio dilata a pupila e diminui as secreções sudorais, salivares, pancreáticas e lácteas.

Beldroega: Usada na purificação das pedras de Exu. O povo utiliza suas folhas, socadas, para apressar cicatrizações de feridas.

Brinco-de-princesa: É planta sagrada de Exu. Seu uso se restringe a banhos fortes para proteger os filhos deste orixá. Não possui uso popular.

Cabeça-de-nego: No ritual a rama é empregada nos banhos de limpeza e o bulbo nos banhos fortes de descarrego. Esta batata combate reumatismo, menstruações difíceis, flores brancas e inflamações vaginais e uterinas.

Cajueiro: Suas folhas são utilizadas pelo axogun para o sacrifício ritual de animais quadrúpedes. Em seu uso caseiro, ele combate corrimentos e flores brancas. Põe fim a diabetes. Cozinhar as cascas em um litro e meio de água por cinco minutos e depois fazer gargarejos, põe fim ao mau hálito.

Cana-de-açúcar: Suas folhas secas e bagaços são usadas em defumações para purificar o ambiente antes dos trabalhos ritualísticos, pois essa defumação destrói eguns. Não possui uso na medicina caseira.

Cardo-santo: Essa planta afugenta os males, propicia o aparecimento do perdido e faz cair os vermes do corpo dos animais. Na medicina caseira suas folhas são empregadas em oftalmias crônicas, enquanto as raízes e hastes são empregadas contra inflamações da bexiga.

Catingueira: É muito empregada nos banhos de descarrego. Seu sumo serve para fazer a purificação das pedras. Entretanto, não deve fazer parte do axé de Exu onde se depositam pequenos pedaços dos axé das aves ou bichos de quatro patas. Na medicina caseira ela é indicada para menstruações difíceis.

Cebola-cencém: Essa cebola é de Exu e nos rituais seu bulbo é usado para os sacudimentos domiciliares. É empregada da seguinte maneira : corta-se a cebola em pedaços miúdos e, sob os cânticos de Exu, espalha-se pelos cantos dos cômodos e embaixo dos móveis; a seguir, entoe o canto de Ogum e despache para Exu. Este trabalho auxilia na descoberta de falsidades e objetos perdidos. O povo utiliza suas folhas cozidas como emoliente.

Cunanã: Seu uso restringe-se aos banhos de descarrego e limpeza. Substituiu em parte, os sacrifícios a Exu. A medicina caseira indica os galhos novos desta planta para curar úlceras.

Erva-preá: Empregada nos banhos de limpeza, descarrego, sacudimentos pessoais e domiciliares. O povo usa o chá desta erva como aromatizante e excitante. Banhos quentes deste chá melhoram as dores nas articulações, causadas pelo artritismo.

Facheiro-Preto: Aplicada somente nos banhos fortes de limpeza e descarrego. Na medicina caseira, ela é utilizada nas afecções renais e nas diarréias.

Fedegoso Crista-de-galo: Esta erva é utilizada em banhos fortes, de descarrego, pois é eficaz na destruição de Eguns e causadores de enfermidades e doenças. Seus galhos envolvem os ebó de defesa. Com flores e sementes desta planta é feito um pó, o qual é aplicado sobre as pessoas e em locais; é denominado “o pó que faz bem”. Na medicina caseira atua com excelente regulador feminino. Além de agir com grande eficácia sobre erisipelas e males do fígado. É usada pelo povo, fazendo o chá com toda erva e bebendo a cada duas horas uma xícara.

Fedegoso: Misturada a outras ervas pertencentes a Exu, o fedegoso realiza os sacudimentos domiciliares. É de grande utilidade para limpar o solo onde foram riscados os pontos de Exu e locais de despacho pertencentes ao deus da liberdade.

Figo Benjamim: Erva usada na purificação de pedras ou ferramentas e na preparação do fetiche de Exu. É empregada também em banhos fortes nas pessoas obsediadas. No uso popular, suas folhas são cozidas para tratar feridas rebeldes e debelar o reumatismo.Figo do Inferno: Somente as folhas pertencentes a este vegetal são de Exu. Na liturgia, ela é o ponto de concentração de Exu. Não possui uso na medicina popular.

Folha da Fortuna: É empregada em todas as obrigações de cabeça, em banhos de limpeza ou descarrego e nos abôs de quaisquer filhos-de-santo. Na medicina caseira é consagrada por sua eficácia, curando cortes, acelerando a cura nas cicatrizações, contusões e escoriações, usando as folhas socadas sobre os ferimentos. O suco desta erva, puro ou misturado ao leite, ameniza as conseqüências de tombos e quedas.

Juá – Juazeiro: É usada para complementar banhos fortes e raramente está incluída nos banhos de limpeza e descarrego. Seus galhos são usados para cobrir o ebó de defesa. A medicina caseira a indica nas doenças do peito, nos ferimentos e contusões, aplicando as cascas, por natureza, amargas.

Jurema Preta: Tanto na Umbanda quanto no Candomblé, a Jurema Preta é usada nos banhos de descarrego e nos ebó de defesa. O povo a indica no combate a úlceras e cancros, usando o chá das cascas.

Jurubeba: Utilizada em banhos preparatórios de filhos recolhidos ao ariaxé. Na medicina caseira, o chá de suas folhas e frutos propiciam um melhor funcionamento do baço e fígado. É poderoso desobstruente e tônico, além de prevenir e debelar hepatites. Banhos de assentos mornos com essa erva propiciam melhores às articulações das pernas.

Lanterna Chinesa: Utilizada em banhos fortes para descarregar os filhos atacados por eguns. Suas flores enfeitam a casa de Exu. Popularmente, é usada como adstringente e a infusão das flores é indicada para inflamação dos olhos.

Laranjeira do Mato: Seu uso se restringe a banhos fortes, de limpeza e descarrego. Na medicina caseira ela atua com grande eficácia sobre as cólicas abdominais e também menstruais.

Mamão Bravo: Planta utilizada nos banhos de limpeza, descarrego e nos banhos fortes. Além de ser muito empregada nos ebó de defesa, sendo substituída de três em três dias, porque o orixá exige que a erva esteja sempre nova. O povo a utiliza para curar feridas.

Maminha de Porca: Somente seus galhos são usados no ritual e em sacudimentos domiciliares. O povo a indica como restaurador orgânico e tonificador do organismo. Sua casca cozida tem grande eficácia sobre as mordeduras de cobra.

Mamona: Suas folhas servem como recipiente para arriar o ebó de Exu. Suas sementes socadas vão servir para purificar o otá de Exu. Não tem uso na medicina popular.

Mangue Cebola: No ritual, a cebola é usada nos sacudimentos domiciliares. Corte a cebola em pedaços miúdos e, entoando em voz alta o canto de Exu, a espalhe pela casa, nos cantos e sob os móveis. Na medicina caseira, a cebola do mangue esmagada cura feridas rebeldes.

Mangueira: É aplicada nos banhos fortes e nas obrigações de ori, misturada com aroeira, pinhão-roxo, cajueiro e vassourinha-de-relógio, do pescoço para baixo. Ao terminar, vista uma roupa limpa. As folhas servem para cobrir o terreiro em dias de abaçá. Na medicina caseira é indicada para debelar diarréias rebeldes e asma. O cozimento das folhas, em lavagens vaginais, põe fim ao corrimento.

Manjerioba: Utilizada nos banhos fortes, nos descarregos, nas limpezas pessoais e domiciliares e nos sacudimentos pessoais, sempre do pescoço para baixo. O povo a indica como regulador menstrual, beneficiando os órgãos genitais. Utiliza-se o chá em cozimento.

Maria Mole: Aplicada nos banhos de limpeza e descarrego, muito procurada para sacudimentos domiciliares. O povo a indica em cozimento nas dispepsias e como excelente adstringente.

Mata Cabras: Muito utilizado para afugentar eguns e destruir larvas astrais. As pessoas que a usam não devem tocá-la sem cobrir as mãos com pano ou papel, para depois despachá-la na encruzilhada. O povo indica o cozimento de suas folhas e caules para tirar dores dos pés e pernas, com banho morno.

Mata Pasto: Seus galhos são muito utilizados nos banhos de limpeza, descarrego, nos sacudimentos pessoais e domiciliares. O povo a indica contra febres malignas e incômodos digestivos.

Mussambê de Cinco Folhas: Obs.: Sejam eles de sete, cinco, ou três folhas, todos possuem o mesmo efeito, tanto nos trabalhos rituais, quanto na medicina caseira. Esta erva é utilizada por seus efeitos positivos e por serem bem aceitas por Exu no ritual de boas vindas. Na medicina caseira é excelente para curar feridas.

Ora-pro-nobis: É erva integrante do banho forte. Usada nos banhos de descarrego e limpeza. É destruidora de eguns e larvas negativas, além de entrar nos assentamentos dos mensageiros Exus. No uso caseiro, suas folhas atuam como emolientes.

Palmeira Africana: Suas folhas são aplicadas nos banhos de descarrego ou de limpeza. Não possui uso na medicina caseira.

Pau D’alho: Os galhos dessa erva são utilizados nos sacudimentos domiciliares e em banhos fortes, feitos nas encruzilhadas, misturadas com aroeira, pinhão branco ou roxo. Na encruzilhada em que tomar o banho, arrie um mi-ami-ami, oferecido a Exu, de preferência em uma encruzilhada tranqüila. Na medicina caseira ela é usada para exterminar abscessos e tumores. Usa-se socando bem as folhas e colocando-as sobre os tumores. O cozimento de suas folhas, em banhos quentes e demorados, é excelente para o reumatismo e hemorróidas.

Picão da Praia: Não possui uso ritualístico. A medicina caseira o indica como diurético e de grande eficácia nos males da bexiga. Para isso utilize-o sob a forma de chá.

Pimenta Darda: “Aplicada em banhos fortes e nos assentamentos de Exu. Na medicina caseira, suas sementes em infusão são anti-helmínticas, destruindo até ameba.

Pinhão Branco: Aplicada em banhos fortes misturadas com aroeira. Esta planta possui o grande valor de quebrar encantos e em algumas ocasiões substitui o sacrifício de Exu. Suas sementes são usadas pelo povo como purgativo. O leite encontrado por dentro dos galhos é de grande eficácia colocado sobre a erisipela. Porém, deve-se Ter cuidado, pois esse leite contém uma terrível nódoa que inutiliza as roupas.

Pinhão Coral: Erva integrante nos banhos fortes e usadas nos de limpeza e descarrego e nos ebó de defesa. Na medicina caseira o pinhão coral trata feridas rebeldes e úlceras malignas.

Pinhão Roxo: No ritual tem as mesmas aplicações descritas para o pinhão branco. É poderoso nos banhos de limpeza e descarrego, e também nos sacudimentos domiciliares, usando-se os galhos. Não possui uso na medicina popular.

Pixirica – Tapixirica: No ritual faz parte do axé de Exu e Egun. Dela se faz um excelente pó de mudança que propicia a solução de problemas. O pó feito de suas folhas é usado na magia maléfica. Na medicina caseira ela é indicada para as palpitações do coração, para a melhoria do aparelho genital feminino e nas doenças das vias urinárias.

Quixambeira: É aplicada em banhos de descarrego e limpeza para a destruição de eguns e ao pé desta planta são arriadas obrigações a Exu e a Egun. Na medicina caseira, com suas cascas em cozimento, atua como energético adstringente. Lavando as feridas, ela apressa a cicatrização.

Tajujá – Tayuya: É usada em banhos fortes, de limpeza ou descarrego. A rama do tajujá é utilizada para circundar o ebó de defesa. O povo a indica como forte purgativo.

Tamiaranga: É destinada aos banhos fortes, banhos de descarrego e limpeza. É usada nos ebó de defesa. O povo a indica para tratar úlceras e feridas malignas.

Tintureira: Utilizada nos banhos fortes, de limpeza ou descarrego. Bem próximo ao seu tronco são arriadas as obrigações destinadas a Exu. O povo utiliza o cozimento de suas folhas como um energético desinflamatório.

Tiririca: Esta plantinha de escasso crescimento apresenta umas pequeninas batatas aromáticas. Estas são levadas ao fogo e, em seguida, reduzida a pó, o qual funciona como pó de mudança no ritual. Serve para desocupar casas e, colocadas embaixo da língua, desodoriza o hálito e afasta eguns.

Urtiga Branca: É empregada nos banhos fortes, nos de descarrego e limpeza e nos ebó de defesa. Faz parte nos assentamentos. O povo a indica contra as hemorragias pulmonares e brônquicas.

Urtiga Vermelha: Participa em quase todas as preparações do ritual, pois entra nos banhos fortes, de descarrego e limpeza. É axé dos assentamentos de Exu e utilizada nos ebó de defesa. Esta planta socada e reduzida a pó, produz um pó benfazejo. O povo indica o cozimento das raízes e folhas em chá como diurético.

Vassourinha de Botão: Muito empregada nos sacudimentos pessoais e domiciliares. Não possui uso na medicina popular.

Vassourinha de Relógio: Ela somente participa nos sacudimentos domiciliares. Não possui uso na medicina caseira.

Xiquexique: Participa nos banhos fortes, de limpeza ou descarrego. São axé nos assentamentos de Exu e circundam os ebó de defesa. O povo indica esta erva para os males dos rins.


O Homem da Capa Preta


Bom essa é uma das lendas urbanas, sobre o homem da capa preta, alguns dizem que já viu principalmente as pessoas que brincam com o compasso, caneta, copo, etc... Só que até onde eu sei esse homem nâo faz nenhum mal.

Aqui vai: geralmente as pessoas vêem ele quando fazem a brincadeira do copo ou da caneta,uma vez uma menina estava fazendo a brincadeira da caneta e a campainha tocou ela como levou um susto na hora por que estava concentrada ela foi do 2 andar da casa dela e viu um homem de capa preta e de preto,ela correu para o primeiro andar e trancou todas as portas e ficou trancada no quarto até o dia amanhecer,ele tinha sumido. outra a menina estava voltando com a amiga de 15 anos,estava escuro e um homem de capa preta e de preto seguiu ela,ela pensando que era um bandido ou um estrupador saiu corendo com a amiga em quanto ele andando normalmente ela entrou na casa depressa e fechou a porta,ela olhou pela janelinha nao tinha ninguem. isso é verdade tem alguns relatos aki no sobrenatural que revelam esse ser misterioso.

As sete cidades Fantasmas americanas


Eternas remanescentes do abandono, morte e destruição

I. Elizabethtown, Novo México



Elizabethtown foi fundada no ano de 1866 como uma cidadezinha de mineradores. Este lugar se tornou famoso por uma série de assassinatos atribuídos a um serial killer conhecido como Charles Kennedy. Ele atraia os viajantes para a sua pousada, e as matava enquanto dormiam. Ele pode ter sido o responsável por cerca de 14 assassinatos brutais em quanto viveu ali. Kenneedy foi finalmente morto por um grupo de linchamento, liderados por Clay Allison.A população abandonou a cidade devido a um incêndio que se propagou e destruiu a maioria das casas e quando a febre do ouro finalmente terminou.


II. Helltown, Ohio


Também conhecida por Boston, em Ohio, muitos encontros espectrais foram informados no cemitério e em outros lugares dentro dos limites do condado. Satanistas realizavam sacrifícios de animais em uma velha Igreja Presbiteriana na pequena estrada que levava ao moinho de Boston, o que só a tornou ainda mais assustadora. Um dos muitos rumores que correm por aí dão conta de uma cobra gigante que vaga por meio aos bosques da cidade e que teria surgido devido a um derramamento químico




III. Bodie, California





A cidade ficou muito conhecida por sua riqueza, mas logo ganhou fama de cidade do pecado, devido aos foras da lei, pela violência e luxúria. As matanças diárias eram tidas como o resultado do desrespeito as leis. Diz-se que o lugar é amaldiçoado, e que mesmo que você peque apenas uma pequena pedra da cidade, você terá má sorte pelo resto da sua vida.Ela foi sendo abandonada aos poucos por causa de muitos incidentes naturais e artificiais que desolaram a área da cidade.




IV. Ludlow, Colorado


Ludlow fica situada na entrada de um cânion no sopé de uma montanha, conhecida por Sangre de Cristo do condado de Las Animas, Colorado. Ganhou fama devido a um grande massacre ocorrido em 1914, que ficou conhecido como “o Massacre de Ludlow”. Os mineradores de carvão e suas famílias foram mortos durante a greve do Carvão do Colorado. A guarda nacional do Colorado atacou os 1.200 grevistas, culminando com o terrível massacre.




V. Tombstone, Arizona



Uma das cidades fantasmas americanas mais conhecidas, Tombstone foi revitalizada como uma atração turística popular. Pela nostalgia de alguns remanescentes do Oeste Selvagem, ela apresenta alguns lugares bem conhecidos. Aqui ficava a casa do curral O.K., o Teatro Birdcage, os numerosos tiroteios ao meio-dia além das lápides no Cemitério com os nomes dos personagens mais infames do Velho Oeste.Dê uma passadinha pela antiga cidade dos mineradores, tome uma bebida no curral e assista a algumas encenações de alguns dos mais famosos duelos que ali ocorreram.

VI. Dudleytown, Connecticut

Oficialmente conhecida como Owlsbury, mas também denominada Dudleytown, este pequeno lugarejo de Connecticut enfrentou um grande declínio, apesar dos esforços dos muitos dos antigos residentes. A cidade prosperou temporariamente, mas depois de uma série de problemas enfrentados no lugar, ela só se enfraqueceu. Há muitas evidências de que os cidadãos de Dudleytown eram propensos ao suicídio, histeria em massa, avistamentos de fantasmas e demônios. Até mesmo o Dan Akroyd (Caça Fantasmas) disse que este é o lugar mais assustador da Terra.Atualmente é uma propriedade privada, portanto, deve-se obter uma permissão prévia para conhecer o lugar.

VII. St. Elmo, Colorado

St. Elmo começou a ser povoada em 1878, por pessoas que vinham em busca do ouro e da prata. A aldeia sofreu um grande incêndio que destruiu a maior parte de seus estabelecimentos comerciais. A única família que se acredita ter sobrevivido foi a Família Stark, cuja presença fantasmagórica da própria Annabelle Stark ainda assombra o lugar.

tirado do site:http://casadokct.blogspot.com/2008/09/7-cidades-fantasmas-americanas.html

A origem da sexta-feira 13



A crença de que o dia 13, quando cai em uma sexta-feira, é dia de azar, é a mais popular superstição entre os cristãos. Há muitas explicações para isso. A mais forte delas, segundo o Guia dos Curiosos, seria o fato de Jesus Cristo ter sido crucificado em uma sexta-feira e, na sua última ceia, haver 13 pessoas à mesa: ele e os 12 apóstolos.



Mas mais antigo que isso, porém, são as duas versões que provêm de duas lendas da mitologia nórdica. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí veio a crendice de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça na certa.



Segundo outra lenda, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem à palavra friadagr = sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, a lenda transformou Friga em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio. Os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.

O número 13


A crença na má sorte do número 13 parece ter tido sua origem na Sagrada Escritura. Esse testemunho, porém, é tão arbitrariamente entendido que o mesmo algarismo, em vastas regiões do planeta - até em países cristãos - é estimado como símbolo de boa sorte. O argumento dos otimistas se baseia no fato de que o 13 é um número afim ao 4 (1 + 3 = 4), sendo este símbolo de próspera sorte. Assim, na Índia, o 13 é um número religioso muito apreciado; os pagodes hindus apresentam normalmente 13 estátuas de Buda. Na China, não raro os dísticos místicos dos templos são encabeçados pelo número 13. Também os mexicanos primitivos consideravam o número 13 como algo santo; adoravam, por exemplo, 13 cabras sagradas. Reportando-nos agora à civilização cristã, lembramos que nos Estados Unidos o número 13 goza de estima, pois 13 eram os Estados que inicialmente constituíam a Federação norte-americana. Além disso, o lema latino da Federação, "E pluribus unum" (de muitos se faz um só), consta de 13 letras; a águia norte-americana está revestida de 13 penas em cada asa.

The Sound Of Hell (O som do Inferno)


Pesquisadores gravam os gritos dos perdidos


"Como comunista, não acredito no céu ou na Bíblia, mas como cientista eu agora acredito no inferno, disse o Dr. Azzacove”. Inútil para nós dizer que ficamos chocados ao fazer tal descoberta, mas nós sabemos o que vimos e ouvimos e estamos absolutamente convencidos que perfuramos através das portas do inferno!”. As brocas começaram de repente a girar descontroladamente, indicando que nós tínhamos alcançado um bolso ou uma grande caverna vazia. Os sensores de temperatura mostraram um aumento dramático no calor de 2000 graus Fahrenheit. Nós abaixamos um microfone projetado para detectar os sons de movimentos de placas de baixo eixo. Mas em vez de movimentos de placas nós ouvimos voz humana que gritava de dor. No início pensamos que o som estava vindo do nosso próprio equipamento, mas quando fizemos os ajustes nossas más suspeitas foram confirmadas. Os gritos não eram de um único ser humano, eles eram os gritos de milhões de seres humanos...!”


CLIQUE AQUI para ouvir caso tenha coragem.



Para ouvir é necessário ter o programa REAL PLAYER

Hierarquias Infernais

Do Dictionaire Infernale de Collin De Plancy, de 1863
Asmodeus - O Destruidor;
Astaroth - Consegue a amizade dos grandes senhores;
Behemoth - Demônio da indulgência;
Ronwe - Demônio do conhecimento dos indiomas;
Urobach - Das ordens mais inferiores de demônios;
Andras - Grande Marquês do Inferno, causa discórdia e disputas;
Beelzebub - Senhor das moscas.
De Magus de Francis Barrett, de 1801:
Mammon - Príncipe dos tentadores;
Asmodeus - Príncipe da vingança;
Satã - Príncipe dos enganadores;
Belzebuth - Chefe dos falsos deuses;
Pytho - Príncipe dos espíritos da decepção;
Belial - Príncipe da iniqüidade;
Merihim - Príncipe das espíritos da pestilência;
Abbadon - Príncipe da Guerra;
Astaroth - Príncipe dos acusadores e inquisidores.
Do Grimoire do Papa Honório
Principais espírtos infernais:
Lúcifer - Emperador;
Beelzebub - Príncipe;
Astarot - Grão Duque.
Espíritos superiores:
Lucifage Rofocale - Primeiro ministro;
Satanchia - Grande general;
Agaliarept - General;
Feurety - Tenente comandande;
Sargantanas - Major;
Nebiros - Marechal de campo.
Espíritos
subordinados:
Bael;
Bathim;
Agares;
Pursan;
Marbas;
Abigar;
Pruslas;
Loray;
Aamon;
Valefar;
Barbatos;
Forau;
Buer;
Ayperos;
Gusoyn;
Nuberus;
Botis;
Glasyabolis.
Da Hierarquia Infernal de Johan Weyer:
Beelzebuth - Líder supremo;
Satã - Ocupa o segundo lugar como príncipe das trevas;
Eurynomous - Príncipe da morte;
Moloch - Príncipe da terra das lágrimas;
Plutão - Príncipe do fogo;
Baal - Comandante dos exércitos do inferno;
Lúcifer - Dispensa justiça;
Asmodeus - Jogatina;
Baalberith - Ministro dos pactos e negociações;
Proserpine - Prícipe dos espíritos demoníacos;
Astaroth - Príncipe e tesoureiro do inferno;
Nergal - Chefe da polícia secreta;
Chamos;
Melchom;
Behamoth;
Dagon;
Adramalek.
Do Histoire admirable de la Possession et conversion d'une penitente de Sebastien Michaelis, de 1613:
Primeira Hierarquia:
Belzebuth - Orgulho;
Leviathan - Fé;
Asmodeus - Luxúria;
Balberith - Blasfêmia e assassinato;
Astaroth - Vaidade e Preguiça;
Verrine - impaciência;
Gresil - Impureza;
Sonnillon - Ódio.
Segunda hierarquia:
Carreau - Inclemência, impiedade;
Carnivean - Obscenidade;
Oeillet - Ricos e poderosos;
Rosier - Amor;
Verrier - Desobediência.
Terceira hierarquia:
Belial - Arrogância;
Olivier - Crueldade e ganância;
Juvart - Possessões demoníacas
A Hierarquia de John Wier:
Bael - Rei, lorde do Leste e comandante de 66 legiões;
Forcas - Presidente;
Beur - Presidente e comandante de 50 legiões;
Marchocias - Marquês e comandande de 30 legiões;
Behamoth - Desconhecido.
Demônios dos Sete Pecados Capitais de Peter Binsfeld, de 1589:
Lúcifer - Orgulho;
Mammon - Avareza;
Asmodeus - Luxúria;
Satã - Ódio;
Beelzebub - Gula;
Leviathan - inveja;
Belphegore - Preguiça.
A Hierarquia dos Reinos de Fausto:
Beelzebub - Norte;
Lúcifer - Leste;
Belial - Sul;
Astaroth - Oeste;
Phlegathon - Centro.
Hierarquias Medievais Miscelânea:
Os sete príncipes do inferno:
Baal-beryth - Mestre de rituais e pactos;
Dumah - Comandante dos demônios de Gehenna;
Meririm - Príncipe do ar;
Rahab - Príncipe dos oceanos;
Sariel - Príncipe da lua;
Mephistopholes - O destruidor;
Lúcifer Rofocale - Primeiro ministro e controlador das riquezas.
Os Arque Demônios do Inferno:
Adramaleck - Príncipe do fogo;
Carniveau - Demônio da possessão;
Python - Príncipe dos espíritos mentirosos;
Mammon - Príncipe dos tentadores, avareza e ganância;
Rimmon - Príncipe dos relâmpagos e tempestades.
Arque Demônios Fêmeas do Inferno
umas das poucas hierarquias só de demônios fêmeas:
Leviathan - O dragão do caos (no original " the Dragon" não possui gênero, podendo ser masculino ou feminino, no caso Dragão aqui é fêmea);
Barbelo - desconhecida;
Proserpine - Destruidora;
Astarte - Rainha dos espíritos da morte;
Agrat-bat-mahlath - Umas das esposas de Satã e demônio das prostitutas;
Eisheth Zenunim - Outra das esposas de Satã e demônio das prostitutas;
Lilith - A esposa favorita de Satã;
Naamah - Demônio da Sedução.