Hunters World

Relação direta - Mitologia Greco-Romana e Catolicismo, Part.1

Engraçado, se formos estabelecer um paradoxo direto entre mitologia e a religião mais consistente ou duradoura de todos os tempos, a igreja catolica, não seria dificil fazer associações. Sabemos que Jupiter ou Zeus era o deus supremo dos deuses, o rei do olimpo. Juno ou Hera segundo reza as leis mitologicas seria irmã e esposa do rei do olimpo e a deusa da fertilidade e protetora das mulheres, (no wiccanismo hera é equivalente a Deusa Mãe).
No Catolicismo as equivalencias poderiam ser:

*Deus = Jupiter/Zeus
*Virgem Maria = Juno/Hera
*São Critovão = Poseidon/Netuno

Tá! Mas aonde eu quero chegar, deve ser isso que você esta se perguntando.Né?

Tentem acompanhar a minha linha de raciocinio. Os primeiros povos Sumerios, Maias, Aztecas, Grecos-Romanos criaram o conceito de dinvidades de forma que a mesma suprisse certa necessidade que ainda estivesse fora do alcançe de entendimento do ser humano ate o presente momento. Com o passar dos seculos novas necessidades surgiam e com elas novas dinvidades e outras foram compreendidas e assim sendo pode se dizer que aquela divindade não fora extinta ou rebaixada, mas fora deixada de ser cultuada, não literalmente mas não como antes, esta teve uma redução em seus sacrificios, oferendas e suplicas.
Como base nessa linha de pensamento criada e desenvolvida por mim, surgem varias perguntas como, será que existiu/existe um Deus?

Digamos que com os passar do tempo o panteão de deuses já estava saindo fora do controle e eles precisavam de um novo conceito de divindade que atendesse não só a uma necessidade mas a todas de uma vez. Isso seria uma teoria com base na cultura, sociedade e economia dos Gregos-Romanos. Porém os egipcios que também tinham o conceito de uma divindade para cada necessidade tanto fisica, espiritual e psicologica, não queriam o fim do politeismo, isso reforça a ideia de guerra entre a cultura egipcia e outras proximas que já haviam se convertido ao monoteismo.

60 perguntas que farão de você um Ateu

  • Se Deus nos ama tanto e quer que estejamos com ele, por que ele poria nossas almas em risco ao deixar a difusão de sua palavra a cargo de seres humanos falíveis, mentirosos e pecadores? Será que um professor deixaria um dos alunos assumir seu lugar se isto pusesse em risco o futuro da classe?

  • Se Satanás é o Pai da Mentira, como podemos ter certeza de que ele não enganou os cristãos e fez com que eles o adorassem como deus e rejeitassem o verdadeiro deus?

  • Se Deus lançou o Diabo no inferno e o inferno é um lugar de castigo eterno, sem perdão, por que nos ensinam que o Diabo anda por aí nos tentando e nos possuindo? Um carcerário que deixa seus prisioneiros saírem para matar e roubar seria demitido por incompetência.

  • Se Satanás consegue entrar até nas igrejas e fazer com que as pessoas tenham pensamentos impuros durante os cultos, como os cristãos podem ter tanta certeza de que ele não influenciou a redação e a composição da Bíblia segundo seus interesses?

  • Deus pensa? Por que um ser que já sabe de tudo precisaria pensar?

  • Se o Universo está em todo lugar por definição, por que é que tem gente que vive perguntando “de onde veio o Universo”? Ele não pode vir dele mesmo… ou pode?

  • Se Deus é onisciente, como ele poderia ter se arrependido de sua criação?

  • Se a alma é imaterial e o corpo é material, como é que a alma fica ligada ao nosso corpo?

  • Por que Deus mandou o dilúvio para eliminar o mal da Terra? Não funcionou! O mal voltou logo em seguida. Deus já deveria saber que isto iria acontecer, então por que ele se deu ao trabalho?

  • Se Deus é imutável, porque ele precisou “mudar as regras” enviando-se Jesus na Terra?

  • Por que um deus todo-poderoso teve que se tornar carne para poder se sacrificar em seu próprio nome, de modo a livrar sua criação de sua própria ira? Será que Deus, em sua sabedoria infinita, não teria uma solução menos primitiva?

  • Se tudo é “parte do plano de Deus”, como dizem os crentes, então Deus planejou todas as desgraças, todas as catástrofes e todos os nossos pecados e não precisamos sentir culpa por nada nem fazer nada para corrigir as coisas.

  • Porque os teístas dizem que eu preciso vasculhar todos os lugares do universo e não achá-lo para dizer que Deus não existe, se eu só precisaria não encontrá-lo em apenas um lugar, visto que é onipresente?

  • Se Deus não é a causa da confusão, o que dizer da Torre de Babel?

  • Cristãos dizem que se um bebê morrer, ele vai para o céu. Por quê então são tão contrários ao aborto, se isso privaria todas as crianças de irem para o Inferno?

  • Como Deus pode ter emoções (ciúme, raiva, tristeza, amor…) se ele é onipotente, onisciente e onipresente? Emoções são uma reação, mas como Deus pode reagir a algo que ele já sabia que iria acontecer e até planejou?

  • Deus nunca me deu os brinquedos que pedi quando criança, mas, se eu pedir para ir para o inferno, será que ele vai me atender?

  • O verdadeiro islamita não deve fazer nada que Maomé não tenha feito. Houve até uma discussão sobre se islamitas poderiam comer mangas. O que, então, estavam aqueles fundamentalistas fazendo naqueles aviões?

  • Por que Deus permite que uma criança nasça se ele já sabe que ela vai para o inferno? Onde está seu amor infinito?

  • Como podemos ser felizes no céu sabendo que pessoas que amamos estão sofrendo no inferno? Um crente me disse que as memórias que temos dos entes queridos são apagadas para não sofrermos no céu. Mas se perdemos nossa memória, não deixamos de ser nós mesmo?

  • Muitas pessoas acreditam em fantasmas. Então porque as pessoas só vêem fantasmas de pessoas ou bichos de estimação mortos? Porque não Neanderthais ou dinossauros? Não haveria um baita fantasma de um brontossauro para quem pudesse ver?

  • Por que Deus abriu o Mar Vermelho para que Moisés tirasse os judeus do Egito mas não abriu os portões dos campos de concentração?

  • Por que dizem que temos livre arbítrio se só há duas opções: seguir a Deus e ir para o céu ou desobedecer e ir para o inferno?

  • Em Isaías 40:28 diz “Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga?”. Então como é que os católicos dizem que Deus descansou no sétimo dia no Gênesis?

  • Adão e Eva tinham umbigos?

  • Judeus tradicionais dizem que o nome de Deus é impronunciável e por isso o chamam de Javé ou JHVH. Como é que então alguém pode ser acusado de falar seu nome em vão se ninguém sabe qual é?

  • Por que Deus é do sexo masculino?

  • Se você nasce retardado, sua alma também é retardada? E se você fica retardado depois de velho?

  • Se o homem é feito à imagem de Deus, então Deus tem pênis?

  • Por que precisamos rezar se Deus já sabe de tudo o que vamos dizer e do que precisamos? Será que ele gosta que nos humilhemos diante dele?

  • Por que danos ao cérebro podem mudar nossa personalidade se nossa essência está na alma?

  • Cristãos adoram dizer o quanto Jesus se sacrificou por nós. Mas se ele era Deus, então como ele não sabia que em 3 dias estaria no céu para nos governar? Se ele está lá e vivo, o que exatamente ele sacrificou?

  • Se o design de Deus é tão inteligente, porque os homens possuem mamilos?

  • Como Adão e Eva podiam saber que era errado comer da Fruta do Conhecimento se só ao comê-la saberiam o que era bom e mal, certo e errado?

  • Se Deus detesta tanto o prepúcio que manda que os homens sejam circuncidados, por que ele os criou assim?

  • Como podemos ofender a Deus se não é possível surpreendê-lo?

  • Se a reencarnação é real, porque é que a população mundial continua crescendo? De onde vem todas essas almas novas?

  • Em 1 Coríntios 15:50 diz “Isto afirmo, irmãos, que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção”. Como Jesus pôde então ascender ao reino de Deus se ele mesmo é carne e sangue?

  • Por que Deus criou o Mal (Isaías 45:6-7) se ele não quer que o pratiquemos? Por ele cria as pessoas que já sabem vão para o inferno?

  • Se algum dia houver transplantes de cérebro, a alma irá junto com ele?

  • Por nós já não nascemos sabendo tudo sobre Deus, por que temos que descobrir qual é a religião certa e ainda decifrar seus enigmas?

  • Por que a genealogia de Jesus passa por José se ele não era seu pai? E por que há duas genealogias diferentes, já a partir do pai de José?

  • Por que quase todas as descrições de Deus equivalem à não-existência (incorpóreo, imaterial, incompreensível, invisível, imperceptível etc.) ?

  • Por que Deus não aparece a todo mundo e nos convence de sua existência? Por que ele só se revela de maneira tão duvidosa e tão obscura?

  • De acordo com Mateus 5:17, Jesus não veio abolir a Lei e os profetas, apenas completá-los, e que nem uma vírgula deverá ser alterada enquanto existirem céu e terra. Como Jesus ainda não voltou, a Lei ainda está valendo, portanto, por que não saímos por aí queimando bruxas, apedrejando adúlteras e crianças desobedientes, matando homossexuais, excluindo gente que trabalha aos sábados (enfermeiras, médicos etc.), aspergindo sangue nos altares, arrancando a cabeça de passarinhos e sacrificando pessoas a Deus (Levítico 27:28) ?

  • Se os crentes aceitam que Deus sempre existiu, por que eles não aceitam que o universo sempre existiu?

  • Que deus de infinito amor aceitaria sacrifícios humanos, inclusive de seu próprio filho e dos filhos de suas criaturas?

  • Se Jesus era Deus em forma humana, ele morreu para nos salvar dele mesmo?

  • Se os cristãos dizem que não podemos afirmar que as ações de Deus são más porque ele tem um plano divino e, sendo Deus, está fora de nossa compreensão, então também não podemos afirmar que Deus é bom. Deus seria amoral? Se a moral é algo subjetivo, que varia conforme a época e a cultura, como podemos definir se Deus é bom ou mau?

  • Por que Deus criaria gente que não acredita nele e depois os puniria por ser aquilo que ele os fez?

  • O que é o “plano de Deus”? Um deus onipotente e onisciente não precisa planejar nada. Isto é coisa de criaturas limitadas, que não conhecem o futuro. Se Deus tem um plano, então ele é limitado como nós.

  • Por que precisamos de um corpo se nossas almas podem fazer tudo o que fazemos e até melhor?

  • Se Jesus não era filho de José, porque sua árvore genealógica nos evangelhos é traçada até ele?

  • Como pode um deus de infinito amor e misericórdia assistir a bilhões de seus filhos queimar por toda a eternidade?

  • Como Deus julga os que viveram antes de a Bíblia ser escrita?

  • Como é possível que uma alma queime? Elas não são entidades espirituais? Seria um “fogo espiritual”? Para que Deus se daria todo este trabalho para torturar seus filhos queridos? Como é possível acreditar em que Deus seja tão bárbaro que só se acalma com a morte e a tortura dos que o contrariaram?

  • Se tudo faz parte do plano de Deus, que diferença faz rezar ou não?

  • Por que Deus permite que crianças nasçam só para morrer logo em seguida?

  • Por que Deus não proibiu Adão e Eva de comer da outra árvore mágica?

  • Porque Deus possui quase todas as características de algo que não existe? Por exemplo: imaterial, incorpóreo, incompreensível, invisível, inexplendorável, etc…

Autor: The Infidel Guy

Belas Maldições - O apocalipse nunca foi tão divertido

A passagem do ano de 1999 para 2000 foi marcada por uma série de profecias anunciando o fim do mundo. Naquela data, as forças celestiais e as tropas infernais se digladiariam sobre a Terra, espalhando morte e destruição entre a humanidade cujo papel seria muito simples: o de vítimas não tão inocentes em uma guerra que não lhe dizia respeito. Os “justos” seriam salvos, sendo abrigados na morada do Senhor e o restante de nós passaria o resto da eternidade ardendo nas chamas infernais. Eu não sei quem julga quais são os “justos” e quais são os destinados ao Inferno, mas a verdade é que muitas religiões esperavam, com um suspeito deleite, o proclamado Dia do Juízo Final. Marcaram até uma data: 31/12/1999.

O interessante dessa data é que ela atende só parte da humanidade. Afinal, para os chineses já passamos do ano 5000. Mesmo assim, a data fora marcada com uma temível precisão.

Nem o fato de pesquisas recentes afirmarem que o nosso calendário está equivocado – hoje estaríamos por volta do ano 2004 – e da virada do século/milênio ter acontecido entre 2000/2001 e não entre 1999/2000 demoveu certos Profetas do Apocalipse de suas crenças.

De qualquer forma, como nada disso aconteceu, o filho da Besta não nasceu, Jesus não retornou e a humanidade continua seguindo o mesmo caminho, o jeito é brincar com as velhas profecias. Belas maldições – as belas e precisas previsões de Agnes Nutter, bruxa é a investida de Terry Pratchett e do mestre dos sonhos, Neil Gaiman no tema. Esses dois senhores ingleses decidem distorcer, a seu modo, as tão famosas e proclamadas teorias sobre o fim dos tempos e, como resultado, nos premiaram com um livro absurdo e, ao mesmo tempo, delicioso.

Neil e Terry fizeram como as velhas profecias e marcaram um dia exato para o começo do fim do mundo: Sábado que vem, às 18:00hs. em uma pequena cidade inglesa.

A história começa por volta de 6000 anos atrás, com o inusitado diálogo entre Arizaphale, o anjo do Portão Leste do Éden e Crowley, a serpente que tentara Eva a morder a maçã. Apenas uma pequena introdução para a trama que virá.

5089 anos depois, ou seja, 11 anos atrás, Crowley está muito preocupado com um parto em particular, pois dele nascerá o Filho das Trevas, a criatura que, nos nossos dias, seria o responsável pelo início do Apocalipse. Para que isso aconteça, essa criança deveria ser tirada secretamente de seus pais verdadeiros e entregue a uma família – cuja mulher também daria à luz a um menino na mesma hora e hospital – que o criaria sob preceitos satanistas. A idéia era a de que atingisse o ápice de seus poderes aos onze anos de idade. As coisas dão errado e o menino, Adam, tem uma infância normal. Mesmo assim, alheios a tudo isso, Céu e Inferno preparam-se para o Armagedon e mobilizam seus principais agentes na Terra: Arizaphale e Crowley. No entanto, há um pequeno problema com o qual nenhuma das partes envolvidas contava: o anjo e o demônio adoram a Terra e seu povo e não querem que tudo seja destruído.

Hoje é quarta-feira e os dois tem três dias para encontrar um meio de impedir que o plano inefável do Céu e do Inferno aconteça....

Em Belas maldições – as belas e precisas previsões de Agnes Nutter, bruxa”, Gaiman e Pratchett conseguem tirar o máximo de cada uma das incontáveis personagens do livro, desde Pimentinha, integrante de “Eles”, a suposta gangue de Adam – na verdade, quatro crianças travessas –, aos anjos e demônios, passando por indivíduos realmente estranhos como Não-Cometerás-Adultério Pulsifer, um antigo caçador de bruxas, e até mesmo os Cavaleiros do Apocalipse. Esses, inclusive merecem destaque por terem sido atualizados pelos autores.

Os Cavaleiros de Belas maldições... trocaram os cavalos por motos e cada um age de maneira diferente: Guerra é uma bela mulher que atraí – ou distribui – seu nome onde passa; Fome é um executivo do ramo de alimentos que criou uma popularíssima marca de comida que não engorda, mas também não alimenta; Morte é apenas um Motoqueiro alto, robusto e imutável; e Peste... Bom, Peste está aposentada desde 1929, quando descobriram a Penicilina. Poluição, então, tomou seu lugar.

Há muito humor em Belas maldições..., aliado à magia e à fantasia características de Neil Gaiman e situações completamente non sense. É o tipo de livro que o captura de tal forma que só se consegue parar na última página. E dá vontade de ler de novo e de novo.

Belas maldições – as belas e precisas previsões de Agnes Nutter, bruxa - Neil Gaiman & Terry Pratchett
Bertrand Brasil, 1998
R$50,00 - Compre aqui

Leia também as resenhas dos outros livros de Terry Pratchett:

07/12/2001 A cor da magia
30/04/2001 A luz fantástica

Maldições

Uma maldição é uma oração ou invocação expressando o desejo de que a desgraça, o infortúnio, danos físicos, grandes males, etc. recaiam sobre outra pessoa, local, coisa, clã, nação, etc. Também se diz que pessoas são amaldiçoadas quando a desgraça recai sobre elas regularmente, ou em aparente desproporção ao restante de nós.

Maldições parecem ter regularmente feito parte de antigas culturas, e podem ter sido uma maneira de afugentar inimigos e de explicar as aparentes injustiças do mundo. Não há nenhuma evidência de que alguém tenha com sucesso invocado poderes ocultos para causar o mal a outros, mas há evidências de que aqueles que acreditam ter sido amaldiçoados possam ter se tornado infelizes, através da exploração desta crença. O medo e a tendenciosidade humana para a confirmação e o pensamento seletivo, podem às vezes levar aquele que acredita a confirmar a maldição.

A crença em maldições pode tornar mais fácil explicar por que coisas ruins freqüentemente acontecem a boas pessoas: elas estão amaldiçoadas devido a algum mal que algum ancestral causou. Um pouco de reflexão, entretanto, deveria mostrar que essa não é uma explicação muito satisfatória. Se forem Deus ou a Natureza quem está realizando a maldição, nenhum dos dois parece muito justo em punir os filhos pelos pecados de suas mães e pais.

A maldição é um dos temas favoritos da literatura. Quem não foi apresentado à maldição da casa de Pélope? Ou não viu escritores como Faulkner ressuscitarem o tema da maldição de famílias? O Antigo Testamento é uma ladainha de maldições. No Novo Testamento, até uma figueira é amaldiçoada.

A maldição também é um tema favorito da mídia de massas, sempre que algo de ruim acontece com alguém do clã dos Fitzpatrick/Kennedy (FK). A assim chamada "Maldição dos Kennedy" é uma criação da mídia. O clã dos FK não é mais amaldiçoado do que foi amaldiçoada alguma família africana destruída pela escravidão, ou alguma família judaica destruída pelo Nazismo. A mídia gostaria que acreditássemos que o clã dos FK sofreu uma quantidade desproporcional de desgraças. Suas desgraças certamente são desproporcionalmente públicas, mas isso porque o clã é rico e famoso, não porque é amaldiçoado. Suas desgraças têm sido desproporcionalmente influentes porque alguns membros do clã têm sido desproporcionalmente influentes.

Em sua tentativa de reforçar o mito da maldição dos Kennedy, a mídia tem incluído males causados a eles próprios como "tragédias". Ficar bêbado e abandonar uma garota para se afogar é uma tragédia para a família da garota, não para o clã dos FK. Morrer em um desastre de avião quando não se deveria estar pilotando, forçar sexo num encontro, comportamento descuidado numa rampa de esqui, ter um caso com sua babá, ser preso por posse de heroína e morrer de overdose não são tragédias. A vida mulherenga, o fiasco da Baía dos Porcos, trabalhar para Joe McCarthy e envolver os Estados Unidos militarmente no Vietnã, foram comportamentos escolhidos. Se houver uma maldição aqui, é a maldição do excesso de dinheiro, poder e tempo livre, combinados com disposição para correr riscos.

Se for levado em conta o tamanho do clã dos FK, sua riqueza, suas extraordinárias conquistas e sua propensão para correr riscos, então suas desgraças não parecem tão desproporcionais. A mídia gostaria que acreditássemos, entretanto, que se um membro deste clã morrer na guerra, contrair câncer, ou tiver uma doença mental, é porque eles estão amaldiçoados. Se eles estão amaldiçoados, então também estão milhões de outros que sofrem o mesmo destino.

Se alguém na família foi amaldiçoada, foi Rose Fitzgerald Kennedy, que chegou aos 104 anos.

As 13 Maldições (O Exorcista)

O Exorcista (1973)

1. A primeira morte

No filme de estréia da saga, o ator Jack MacGowran é o primeiro a morrer na história, despencando de uma tenebrosa escadaria. Uma semana após terminar de gravar MacGowran morreu mesmo. Dizem que vítima de pneumonia. Será

2. Azar contagiante

Muitas "tragédias" ocorreram com o "amigo do amigo do amigo". O ator Max von Sydow, o padre Merrin, mal começou a gravar quando soube que seu irmão havia morrrido. A esposa grávida de um assistente de câmera perdeu o bebê. Epor aí vai...

3. Equipe dos diabos

A equipe técnica sofreu horrores durante a produção. O homem que refrigerava o quarto onde aconteceu as cenas de possessão morreu de maneira inexplicável. Um vigia noturno que cuidava dos cenários foi morto a tiros durante uma madrugada. Um carpinteiro cortou o polegar fora. Outro serou o dedão do pé. Imprudência no trabalho. Não, culpa do diabo!

4. Puxada infernal

A atriz Ellen Burstyn, que fazia a mãe da garotinha endiabrada, sofreu uma grave lesão na cena em que é atirada para longe pela filha. A culpa é tanto do demônio quanto do diretor Willian Friedkin, que instrui o técnico responsável por puxá-la com a corda a "dar tudo de si"

5. Dublagem maldita

A atriz Mercedes McCambrige ingeriu ovos crus, fumou igual uma chaminé e fez o diabo pra ficar com a voz rouca e demoníaca da meninha possuída. Mas os produtores "esqueceram" de colocar o nome dela nos letreiros do filme. A atriz processou o estúdio - só para saberem que não se brinca com o demo!

6. Vingança musical

O argentino Lalo Schifrin compôs uma trilha sinistra para O Exorcista, mas o diretor Friedkin achou o trabalho muito... chinfrim. Preferiu então usar o tema de piano já pronto ("Tubular Bells"). Schifrin vendeu a trilharejeitada para o filme A Casa do horror(1979). Resultado: recebeu indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro, coisa rara para um filme de terror!

O Exorcista II: O Herege (1977)

7. Antes nunca do que tarde

John Boorman foi a primeira escolha para dirigir O Exorcista, mas recusou a oferta. Anos depois, assumiu as rédias de O Exorcista II - o Herege. Durante as filmagens, contraiu uma infecção respiratória e passou mais de um mês de cama. Quando tentou pular fora da roubada, foi ameaçado de processo judicial pelo estúdio e concluiu o filme contrariado

8. Papel de peso

A menininha meiga do primeiro filme virou uma mocinha rechonchuda em O Exorcista II. Se alguém desconfiava que a jovem atriz Linda Blair era talentosa, ela fez questão de pulverizar essas suspeitas. O filme marca o início de sua decadência ruma os ostracismo e a um corpo em forma... de pêra!

9. Xô, imitações

Se você acha O Exorcista II ruim (e ninguém aqui afirma o contrário!), precisa ver as imitações bisonhas que surgiram em toda parte do mundo. Aliás, precisa não. É melhor evitar. Coisas como Abby (a versão "black power" de O Exorcista), Seytan (a imitação cena a cena feita na Turquia) e Jadu Tona (produção hindu com muito canto e dança). Devem irritar até o próprio capeta!

O Exorcista II (1990)

10. Sem pé nem cabeça

O Exorcista III não é uma sequência dos anteriores. Ou melhor não era para ser. O filme se baseia no livro O Espírito do Mal, de William Peter Blatty, autor do primeiro O Exorcista, que aqui também brinca de diretor. Foi idéia dos produtores trocar o título e inserir referências ao clássico de 1973. O enredo se inspirou nun serial killer verdadeiro, confundindo ainda mais as coisas

O Exorcista: O Início (2004)

11. Convite macabro

John Frankenheimer (Operação França II, Ronin) era um direitor respeitado em Hollywood. Isso até esnobar o convite para dirigir Exorcista: o Início. Respondou um sonoro "não" aos executivos do estúdio e acabou fulminado por um derrame apenas um mês depois.

12. Fim de carreira

A carreia de Paul Schrader ia mal quando ele teve a boa chance de dirigir Exorcista: o Início. Mas sua abordagem mais psicológica não fez a cabeça dos produtores. Ele foi demitido e deu lugar a Renny Harlin, que, precavido, já disse acreditar na maldição da saga

13. Marcha fúnebre

Michael Kamen (Máquina Mortífera, X-Men) foi o primeiro compositor cogitado para cuidar da trilha sonora do novo filme, antes de Christopher Yung assumir o posto. Kamen sofreu um ataque cardíaco fulminante em 2003. O músico, porém, já flertava com o perigo: em 1999, gravou com a banda Metallica, aquela que estorou nas paradas de sucesso após vender a alma ao diabo...

Gato chamado 'Sortudo' cai do 26º andar e sobrevive nos EUA


Gato chamado Lucky caiu do 26º andar e sobreviveu.


Felino estava caminhando no parapeito da janela quando caiu. Cena foi filmada por dois homens que estavam em um andaime.

Um gato chamado Lucky (Sortudo em inglês) teve realmente um dia de sorte. O felino caiu do 26º andar do apartamento de sua proprietária em Nova York, nos Estados Unidos, e sobreviveu, segundo reportagem da emissora "ABC News".

O incidente aconteceu quando a dona do gato, Keri Hostetler, estava arrumando o apartamento em Manhattan, pois iria receber visitas.

Após abrir a janela do quarto, algo que nunca tinha feito, sem que ela percebesse, o felino entrou no quarto, subiu na janela e acabou caindo.

Dois homens que estavam em um andaime do outro lado da rua acabaram filmando a queda do felino. Lucky estava caminhando no parapeito da janela quando caiu. Apesar da queda, o gato não sofreu nenhum ferimento.

Keri disse que "foi seu pior dia". "Se você tem filhos, eu imagino que é um pouco semelhante à relação que tenho com meu animal de estimação, já que não tenho filhos ainda. Ele é incrível", destacou a mulher, segundo a emissora americana.


Retirado de:http://phenomenonpoltergeist.blogspot.com

Egito mostra múmias recém-encontradas


Arqueólogos no Egito mostraram novas imagens de sarcófagos descobertos nas últimas semanas em escavações em uma colina ao sul da capital, Cairo. O chefe da equipe de arqueólogos egípcios, Abdel-Rahman Al-Ayedi,disse: "Nós descobrimos 53 tumbas de pedra. As tumbas continham caixões de madeira e, dentro deles, encontramos vários sarcófagos de múmias coloridos."


Segundo ele, as múmias datam de milhares de anos, incluindo vários períodos da Antiguidade egípcia.Algumas das tumbas foram construídas encima de cemitérios de eras anteriores. Os arqueólogos dizem que as escavações perto do oásis de Fayoum mostram que o ritual da morte foi ficando cada vez mais elaborado a cada dinastia.Nos últimos meses foram descobertas várias múmias no Egito. Os arqueólogos esperam começar em breve escavações na costa norte do país. Eles procuram a tumba de Cleópatra.



Fonte: BBC

Cientistas anunciam avanço em criação de 'manto de invisibilidade'

Os minúsculos furos em toda a capa curvam a luz em volta do volume escondido


Cientistas americanos conseguiram criar uma nova versão de uma espécie de "capa de invisibilidade", que torna objetos tridimensionais invisíveis sob luz infra-vermelha.

O manto criado pela equipe, do formato de um lenço com vários buracos, foi capaz de cobrir um objeto dando a impressão visual de que não estaria cobrindo objeto algum.

Segundo os cientistas, o "manto de invisibilidade" cancela a distorção produzida pelo volume do objeto que é escondido debaixo dela ao "curvar" a luz em volta deste volume, como água em volta de uma pedra, e, com isso, criar a ilusão de uma superfície lisa.

Os cientistas afirmam que conseguiram um avanço importante em relação a estudos anteriores pelo fato de não terem usado metais no manto.

Em 2006, uma equipe de cientistas britânicos e americanos testou uma versão anterior de um "manto de invisibilidade" em laboratório.

O "manto" - na verdade um equipamento circular, feito com dez anéis de fibra de vidro cobertos com materiais à base de cobre - fez com que as ondas emitidas pelo radar se desviassem do objeto e se reencontrassem do outro lado, como se tivessem passado por um espaço vazio.


Silício


Os cientistas, desta vez, também usaram um dielétrico - um material isolante - que absorve menos luz.

Neste projeto trabalharam Michal Lipson e sua equipe na Universidade Cornell, e o professor de engenharia mecânica da Universidade de Berkeley, Xiang Zhang e uma das equipes descreveu o processo na revista especializada Nature Materials.

"Basicamente, estamos transformando uma linha reta de luz em uma linha curva em volta da capa, então você não percebe qualquer mudança em seu caminho", explicou Zhang.

"Metais introduzem perda (de luz), ou reduzem a intensidade da luz", acrescentou o professor. Esta perda de luz pode levar a manchas escuras quando se coloca a capa sobre um objeto.

De acordo com Zhang, o uso do silício nesta capa, um material que absorve pouca luz, foi uma "grande evolução".

Segundo o professor Zhang a capa "muda a densidade local" do objeto que cobre.

"Quando a luz passa do ar para a água, ela se curva, devido à densidade ótica, ou índice de refração", disse o professor à BBC.

"Então, ao manipularmos a densidade ótica de um objeto, podemos mudar o caminho da luz de uma linha reta para qualquer outro caminho que escolhermos."

O novo material consegue este feito devido aos minúsculos furos, perfurados estrategicamente em uma folha de silício.


'Perfil'


A equipe de Zhang conseguiu "decidir qual o perfil" do objeto escondido alterando a densidade ótica com os furos.

"Em algumas áreas vamos perfurar muitos furos e, em outras, eles são bem mais escassos. Onde há mais furos, há mais ar do que silício, então a densidade ótica do objeto é reduzida", afirmou Zhang.

"Cada furo é muito menor do que o comprimento de onda da luz. Então a luz ótica não 'vê' um furo - apenas vê uma espécie de mistura de ar com silício. Então, no que diz respeito à luz, nós conseguimos ajustar a densidade do objeto."

O professor destacou que o "manto de invisibilidade" que ele e sua equipe criaram é muito pequena, apenas alguns milésimos de milímetro de lado a lado. Mas existem usos até para uma "capa de invisibilidade" deste tamanho.

Este dispositivo pode ser usado, por exemplo, na indústria eletrônica, para esconder falhas em cópias complexas ou em "máscaras", espécie de plantas que determinam como o processador deve ser.

"Isto pode significar uma economia de milhões de dólares para a indústria. Poderia permitir que eles corrigissem falhas ao invés de produzir novas máscaras", afirmou Zhang.

Historiador diz que Jack, o Estripador foi invenção de jornal


Um historiador britânico chegou à conclusão de que Jack, o Estripador, o suposto assassino de pelo menos cinco prostitutas no final do século XIX no leste de Londres, não foi uma, mas várias pessoas, e que esse personagem foi uma invenção de um jornal sensacionalista.

Andrew Cook, que investigou o mais famoso assassino em série da história de Londres, afirma que os cinco brutais homicídios atribuídos a Jack, o Estripador e que causaram uma onda de pânico em 1888 entre as mulheres da capital foram obra de diferentes criminosos.

Em seu livro Jack the Ripper: Case Closed (Jack, o Estripador: Caso Encerrado, em tradução livre), Cook cita o testemunho do médico legista Percy Clark, da delegacia de Whitechapel, que examinou pessoalmente os corpos das cinco vítimas.



Quando perguntado pelo jornal East London Observer sobre os crimes alguns anos depois, em 1910, Clark disse que "um homem foi responsável (do assassinato) por três, mas provavelmente não por todos os casos".

O policial Thomas Arnold, que trabalhou na investigação dos assassinatos, também teria dito ao se aposentar que nunca considerou a hipótese de a prostituta Mary Kelly ter sido morta por Jack, o Estripador.

Segundo Cook, o verdadeiro beneficiado pelos assassinatos foi o jornal The Star, lançado na época dos crimes e que foi o primeiro a sugerir, após o assassinato de três mulheres, que o responsável pelas mortes era a mesma pessoa.

Graças ao tratamento sensacionalista do caso, o sensacionalista The Star fez com que suas vendas subissem para 232 mil exemplares por dia.

Mas quando um sapateiro local que o jornal tinha identificado como principal suspeito dos crimes foi posto em liberdade por falta de provas, as vendas despencaram.

Segundo Andrew Cook, o Star então respondeu publicando uma carta cujo autor, que assinava Jack, o Estripador, se vangloriava pelos assassinatos, mas um especialista em caligrafia sustenta que a carta foi escrita por um jornalista do jornal chamado Frederick Best.

A macabra lenda de Jack, o Estripador alimentou a fantasia de várias gerações e se transformou até mesmo em uma atração turística para Londres, que oferece tours guiados pelos locais da Inglaterra victoriana que serviram de palco para os crimes.


Fonte: Terra/Daily Mail

A lei das Bruxas

Triquetra

A Lei foi escrita e decretada pelos antigos. 2A Lei foi feita para os Wicca, para aconselhá-los e ajudá-los em seus problemas. 3Os Wicca devem prestar justa adoração aos Deuses e obedecer sua vontade, que é por eles decretada, pois isso é feito para o bem de Wicca assim como a adoração dos Wicca é boa para os Deuses. Pois os Deuses amam os Irmãos de Wicca.


Apropriadamente preparados


4Assim como o homem ama a mulher dominando-a, 5os Wicca devem amar os Deuses sendo dominados por eles. 6E é necessário que o Círculo, que é o templo dos Deuses, seja verdadeiramente invocado e purificado. E que assim seja um local apropriado para os Deuses entrarem. 7E os Wicca devem estar apropriadamente preparados e purificados para estar na presença dos Deuses. 8Com amor e adoração em seus corações, eles devem criar retirar poder de seus corpos para dar poder aos Deuses. 9Assim foi ensinado pelos antigos.


Atribuições da Alta Sacerdotisa 10Pois apenas desta maneira os homens podem ter comunhão com os Deuses, pois os Deuses não podem auxiliar os homens sem o auxílio do homem. 11E a Alta Sacerdotisa deve comandar seu Coven como representante da Deusa. 12E o Alto Sacerdote deve auxiliá-la como representante do Deus. 13E a Alta Sacerdotisa devem escolher quem ela desejar, sendo ele de grau suficiente, para ser seu Alto Sacerdote. 14Pois, como o próprio Deus beijou seus pés na saudação quíntupla, depositando todo seu poder nos pés da Deusa por causa de sua juventude e beleza, sua doçura e gentileza, sua sabedoria e justiça, sua humildade e generosidade.15Assim ele submeteu todo seu poder a ela.16Mas a Alta Sacerdotisa deve sempre ter em mente que todo o poder vem dele. 17Ele é apenas emprestado, para ser usado sábia e justamente. 18E a maior virtude de uma Alta Sacerdotisa é a de reconhecer que a juventude é necessária à representante da Deusa. 19Assim ela irá graciosamente se retirar em favor de uma mulher mais jovem se o Coven assim decidir em conselho. 20Pois uma verdadeira Alta Sacerdotisa reconhece que ceder graciosamente seu honroso posto é uma das maiores virtudes. 21E desta maneira era retornará a seu honroso posto em outra vida, com maior poder e beleza.


Discrição

22Nos dias antigos, quando os bruxos eram numerosos, éramos livres e adorávamos em todos os grandes templos. 23Mas, nestes dias infelizes,nós devemoa celebrar nossos sagrados mistérios em segredo. 24Assim seja decretado, que ninguém além dos Wicca possa ver nossos mistérios, pois nossos inimigos são muitos e a tortura afrouxa a língua do homem. 25Assim seja decretado que nenhum Coven deve saber onde o outro se reúne. 26Ou quem são seus membros, salvo apenas o Sacerdote e Sacerdotisa e mensageiro. 27E não deve haver comunicação entre eles, salvo através do mensageiro dos deuses, ou o invocador. 28E apenas se for seguro os Covens podem reunir-se em algum lugar seguro para os grandes festivais. 29E enquanto lá estiverem, ninguém deve saber de onde o outro veio ou quais são seus nomes reais. 30Pois assim, qualquer um que seja torturado não dirá nada em sua agonia, pois nada sabe. 31Assim seja decretado que ninguém deve dizer a ninguém que não é da Arte que se é de Wicca, nem dar quaisquer nomes ou onde se reúnem, ou de maneira alguma dizer algo que possa denunciar um de nós a nossos inimigos. 32Nem ninguém deve dizer onde se localiza o Covendom. 33Ou o Covenstead. 34Ou onde as reuniões sejam. 35E se alguém quebrar essas leis, mesmo sob tortura, QUE A MALDIÇÃO DA DEUSA ESTEJA SOBRE ELE, e que assim ele nunca renasça na Terra e que permaneça onde é seu lugar, no inferno dos cristãos.

Discussões no Coven

36Que cada Alta Sacerdotisa governe seu Coven com justiça e amor, com a ajuda e o conselho do Alto Sacerdote e dos Sábios, sempre seguindo o conselho do mensageiro dos Deuses, se ele vier. 37Ela irá considerar todas as queixas de todos os Irmãos e se esforçará para eliminar todas as diferenças entre eles. 38Mas deve ser reconhecido que sempre haverão pessoas que se empenharão em obrigar os outros a fazer o que eles quiserem. 39Eles não são necessariamente maus. 40E eles muitas vezes têm boas idéias e tais idéias devem ser tratadas em conselho. 41Mas se eles não concordarem com seus Irmãos, ou se eles disserem: 42‘eu não vou trabalhar sob o comando desta Alta Sacerdotisa’, 43existiu sempre a Antiga Lei para ser conveniente à Irmandade e evitar disputas.

Formação de Novos Covens

44Qualquer um de terceiro pode requisitar a fundação de um novo Coven porque eles vivem mais de uma légua do Covendom, ou porque ele o quer fazer. 45Qualquer um vivendo nos limites do Covendom e desejando formar um novo Coven deverá dizer aos Sábios a sua intenção, e no mesmo instante mudar-se de residência e dirigir-se ao novo Covendom. 46Membros do antigo Coven podem juntar-se ao novo quando este estiver formado. Mas, se o fizerem, devem evitar definitivamente o antigo Coven. 47Os Sábios do novo e do antigo Coven devem encontrar-se em paz e amor fraternal para decidirem as novas fronteiras. 48Aqueles da Arte que residem foram de ambos Covendoms podem juntar-se a qualquer um deles, mas não a ambos, 49embora todos possam, se os Sábios concordarem, encontrar-se para os grandes festivais se for realmente em paz e amor fraternal, 50mas romper um Coven significa discórdia, e para tal essas Leis foram feitas pelos Antigos, e que A MALDIÇÃO DA DEUSA ESTEJA EM QUEM DESCONSIDERÁ-LAS. Que assim seja decretado.

O Livro das Sombras

51Se fores manter um livro, que seja com sua própria caligrafia. Deixe que irmãos e irmãs copiem o que desejarem, mas nunca deixe o livro sair de suas mãos, e nunca guarde os escritos de outro.52Pois se estes forem encontrados com sua caligrafia, eles poderão ser presos e processados. 53Que cada um guarde seus escritos e destrua-os quando qualquer perigo ameaçá-los. 54Aprenda o máximo que puder de cabeça e, quando o perigo passar, reescreva seu livro, se for seguro. 55Por essa razão, se alguém morrer, destrua seu livro se ele não o pôde fazer. 56Pois, se for encontrado, será uma prova clara contra ele. 57E nossos opressores sabem bem que ‘Não poderás ser um bruxo sozinho’. 58E então todos nossos amigos e Irmãos estarão em perigo de tortura, 59então destrua tudo que não for necessário. 60Se o seu livro for encontrado em suas mãos, será prova clara contra sua pessoa, e poderás ser processado.

Tortura e Interrogatórios

61Mantenha todos os pensamentos da Arte fora de sua mente. 62Se a tortura for muito forte para suportar, diga, ‘Eu confesso. Não posso suportar esta tortura. O que querem que eu diga ?’ 63Se eles tentarem fazê-lo falar da Irmandade, não o faça. 64Mas se eles tentarem fazê-lo falar de coisas impossíveis como voar pelos ares, relacionar-se com um demônio cristão ou sacrificar crianças, ou comer carne humana, 65para obter alívio da tortura diga, ‘Eu tive um sonho mau, eu estava fora de mim, estava enlouquecido’. 66Nem todos os juízes são maus, e, se tiverem uma desculpa, eles podem demonstrar misericórdia. 67Se confessaste antes, negue depois, diga que estavas alucinando sob tortura, diga que não sabias o que falava.

A Morte

68Se fores condenado, nada tema. 69A Irmandade é poderosa e o ajudará a escapar se tiveres mantido-te impassível, mas se tiveres cometido traição não haverá esperança para ti nesta vida ou na que virá. 70Esteja certo, se fores resoluto para a pira, drogas lhe serão oferecidas, e nada sentirás. Irás para a morte e para o que vem depois, o êxtase da Deusa.


Os Instrumentos Mágicos

71Para evitar descobertas, faça com que os instrumentos de trabalho sejam comuns, coisas que qualquer um teria em casa. 72Que os pentáculos sejam de cera para que sejam imediatamente quebrados ou derretidos. 73Não tenha uma espada a menos que sua posição o permita. 74E ela não terá nem nomes nem símbolos em nada. 75Escreva os nomes e símbolos nela com tinta antes de consagrá-la, e lave-a imediatamente após. 76 Que a cor do punho identifique qual é qual. 77Não grave nada nela, pois pode facilitar a descoberta.

Dissimulação

78Sempre lembre-se que somos as crianças escondidas da Deusa, portanto nunca faça algo que possa desonrar-nos ou a Ela. 79Nunca conte vantagens, nunca ameace, nunca diga que queres o mal de ninguém. 80Se alguma pessoa que não é do Círculo falar da Arte, diga, ‘Não fale-me disto, pois me assusta e traz má sorte’. 81Por estas razões, os cristãos têm seus espiões em todos os lugares. Eles falam como se fossem atraídos por nós, e como sentem por não irem em nossas reuniões, dizendo ‘Minha mãe adorava os Antigos. Como eu gostaria de fazê-lo também’. 82Para os que são assim, sempre negue qualquer conhecimento. 83Mas aos outros, sempre diga, ‘Estes homens tolos falam de bruxos voando pelos céus. Para fazer isso eles deveriam ser leves como cardo. E os homens dizem que as bruxas são todas velhas caolhas, então que prazer existiria num encontro de bruxos como os que o povo conta ?’ 84E diga, ‘Muitos homens sábios agora dizem que não há tais criaturas’. 85Sempre faça disso uma piada, e talvez em algum tempo futuro a perseguição morra e possamos adorar nossos Deuses em segurança novamente. 86Que todos nós rezemos por este dia feliz.

87Que as bênçãos da Deusa e do Deus esteja em todo aquele que mantenha estas leis assim como foram decretadas.

As Funções dentro do Coven

88Se o Coven possuir algum equipamento, que todos ajudem a guardá-lo e a mantê-lo limpo e bom para a Arte. 89E que todos justamente guardem todas as riquezas do Coven. 90E se algum Irmão verdadeiramente tiver os escrito, tem direto a seu pagamento, e que seja justo. Isso não é receber dinheiro pela Arte, mas por bom e honesto trabalho. 91Mesmo os cristãos dizem, ‘O trabalhador merece seu pagamento’, mas se algum Irmão quiser de vontade própria trabalhar para a Arte sem receber pagamento, que assim seja para sua grande honra. Que assim seja decretado.

Disputas e Desentendimentos


92Se houver alguma disputa ou desentendimento entre a Irmandade, a Alta Sacerdotisa deve imediatamente convocar os Sábios e inquiri-los no assunto, e eles devem ouvir ambos os lados, primeiro sozinhos e então juntos. 93E então eles decidirão justamente, sem favorecer um lado ou outro. 94Mesmo reconhecendo que há pessoas que nunca aceitarão trabalhar sob o comando de outros. 95Mas, da mesma maneira, há algumas pessoas que não conseguem comandar com justiça. 96Para aqueles que querem sempre comandar, há só uma resposta. 97Saia do Coven ou procure outro, levando com você aqueles que quiserem ir. 98Para aqueles que não o podem, a resposta deve ser simplesmente, ‘Aqueles que não podem aceitar seu comando sairão com você’. 99Pois ninguém deve vir a encontros com aqueles com quem estão em desacordo. 100Assim, todos irão concordar, daqui para frente, pois a Arte deve sempre sobreviver , e que assim seja decretado.

A Loucura dos Cristãos

101Nos dias antigos, quando tínhamos poder, nós podíamos usar a Arte contra qualquer um que intentasse mal contra a Irmandade. Mas nestes dias malditos nós não o podemos fazer. Pois nossos inimigos criaram uma fossa ardente de fogo eterno onde afirmam que seu deus lança todos que o adoram, exceto os poucos que são libertados por seus padres, orações e missas. E isso é feito principalmente dando-se riquezas e presentes valiosos para receber seu favor, pois seu grande deus está sempre precisando de dinheiro. 102Mas como nossos Deuses precisam de nossa ajuda para que o homem e a colheita sejam férteis, assim o deus dos cristãos está sempre precisando da ajuda dos homens para ajudá-lo a nos encontrar e nos destruir. Seus padres sempre lhes dizem que qualquer um que receber nossa ajuda está amaldiçoado a este inferno para todo o sempre, e os homens enlouquecem com o terror disto. 103Mas eles fazem os homens acreditarem que para escapar deste inferno eles precisar dar vítimas aos torturadores. Por esse motivo, todos estão sempre espionando, pensando, ‘Se eu capturar apenas um destes Wicca, eu escaparei da fossa ardente’. 104Por essa razão nós possuímos nossos esconderijos, para que os homens procurem muito e nada encontrem, e digam, ‘Não existe nenhum desses Wicca, e, se existir, estão nalguma terra distante’. 105Mas quando um de nossos opressores morre, ou até apenas adoece, sempre há o grito, ‘Isto é trabalho de bruxos’, e a caçada recomeça. E embora eles chacinem dez de seu povo para cada um de nós, mesmo assim eles não se importam. Eles são incontáveis milhares. 106Enquanto nós somos poucos. Que assim seja decretado.

Mais Considerações sobre os Cristãos

107Que ninguém faça uso da Arte de maneira a causar mal a alguém. 108Não importa quanto eles nos ferirem, não prejudique ninguém. E hoje em dia, muitos crêem que nós não existimos. 109Enquanto esta Lei estiver nos ajudando em nossas dificuldades, ninguém, não importa quão grande injúria ou injustiça houver recebido, deve usar a Arte para prejudicar ou causar mal a alguém. Mas pode-se, depois de um grande Conselho entre todos Wicca, usar a Arte para impedir cristãos de ferir nossos Irmãos, mas apenas para impedí-los, nunca para puní-los. 110Pois assim os homens dirão, ‘Aquele se diz um poderoso caçador, um perseguidor de mulheres velhas que ele diz serem bruxas, mas ninguém lhe fez mal, e isto é uma prova de que elas não têm poder ou que na verdade não há mais nenhuma’. 111Pois todos sabem muito bem que muitas pessoas morreram porque alguém os invejava, ou foram perseguidas porque tinham dinheiro ou bens para serem divididos, ou porque nada possuíam para subornar os caçadores. E muitas morreram por serem velhas rabugentas. Tantas destas morreram que os homens hoje dizem que apenas velhas são bruxas. 112E que isto seja nossa vantagem e que afaste as suspeitas de nós.

Manter a Lei


113Na Inglaterra e na Escócia já faz mais de um ano desde que um bruxo morreu a morte. Mas qualquer uso errôneo do poder pode reiniciar a perseguição. 114Por isso, nunca quebre essa Lei, por mais tentado que te sintas, e nunca permita que ela seja quebrada. 115Se souberes que ela está sendo quebrada, deves trabalhar fortemente contra isto. 116E qualquer Alta Sacerdotisa ou Alto Sacerdote que consentir com sua ruptura deve ser imediatamente deposto, pois é o sangue da Irmandade que eles estão arriscando.

117Faça tudo de maneira segura, e apenas se for realmente seguro. 118E mantenha estritamente a Antiga Lei.

Dinheiro

119Nunca aceite dinheiro pelo uso da Arte, pois o dinheiro sempre mancha aquele que o recebe. Há magos e sacerdotes e os padres dos cristãos que aceitam dinheiro pelo uso de suas artes. E vendem indultos para que os homens livrem-se de seus pecados. 120Não seja como estes. Se você não aceitar dinheiro, estará livre da tentação de usar a Arte para propósitos malignos.

O Uso da Arte

121Todos podem usar a Arte em vantagem própria ou para vantagem dos Irmãos apenas se houver a certeza de que não irá prejudicar ninguém. 122Mas permita sempre que o Coven debata este assunto o quanto desejar. Apenas se todos concordarem que ninguém vai ser prejudicado, a Arte poderá ser usada. 123Se não for possível atingir seu objetivo de uma maneira, provavelmente a meta pode ser atingida de outro modo sem ainda prejudicar ninguém. QUE A MALDIÇÃO DA DEUSA ESTEJA SOBRE QUALQUER UM QUE QUEBRAR ESTA LEI. Que assim seja decretado.


Ética

124 Foi julgado lícito se alguém da Arte precisar de uma casa ou terra e ninguém desejar vender, orientar a mente do proprietário de maneira que ele queira vender, contanto que ele não seja de maneira alguma prejudicado e que o preço seja pago sem barganhas. 125Nunca barganhe ou tente baixar o preço de algo se você o estiver comprando para a Arte. Que assim seja decretado.

A Antiga Lei

126Esta é a Antiga Lei e a mais importante de todas as leis: que ninguém faça qualquer coisa que ponha em risco qualquer membro da Arte, ou que coloque-o em contato com as leis da região ou quaisquer perseguidores. 127Se houver qualquer disputa entre a Irmandade, ninguém deve invocar nenhuma lei além destas da Arte. 129Ou nenhum tribunal além daquele formado por Sacerdotisa, Sacerdote e Sábios.

Mais Regras de Dissimulação e Discrição

129Não é proibido dizer como dizem os cristãos, ‘Há bruxaria neste lugar’, pois há muito nossos opressores classificaram como heresia não crer em bruxaria, e um crime tal como negá-la pode colocá-lo sob suspeita. 130Mas sempre diga, ‘Eu nunca ouvi falar disso por aqui, talvez eles devam existir mas muito longe, não sei onde’. 131Mas sempre fale de nós como velhas ranzinzas, concubinando-se com o demônio e voando pelos ares. 132E sempre diga, ‘Mas como elas podem voar pelos ares se não são leves como cardo’. 133Mas que a maldição da Deusa esteja em qualquer um que lançar suspeitas sobre alguém da Irmandade. 134Ou falar sobre algum verdadeiro local de encontro onde nós nos reunimos.


Livro das Sombras e Liber Umbrarum

135Que a Arte mantenha livros com os nomes de todas as ervas que são boas, e todas os remédios, para que assim todos possam aprender. 136Mas mantenha outro livro com todas as Leis e Rituais e que apenas os Sábios e outras pessoas de confiança possuam este conhecimento. Que assim seja decretado. 138E que as bênçãos dos Deuses estejam em todos que mantêm essas Leis, e que tanto a maldição do Deus quanto a da Deusa esteja em quem as desrespeitá-las.

A Sabedoria da Humildade

138Lembre-se que a Arte é o segredo dos Deuses e que deve ser usado apenas de maneira respeitosa e fervorosa, e nunca para exibir-se ou vangloriar-se. 139Magos e cristãos podem escarnecer de nós dizendo,’Vocês não têm poder, mostre-nos seu poder. Faça magia diante de nossos olhos, e apenas assim acreditaremos’, tentando nos obrigar a trair a Arte perante eles. 140Não lhes dê ouvidos, pois a Arte é sagrada e deve apenas ser usada quando for necessária, e que a maldição dos Deuses esteja em quem quebrar esta Lei.

Alta Sacerdotisa: renúncia, abandono e sucessão

141Sempre foi assim com as mulheres, e com os homens também, que eles sempre buscam novos amores. 142Não devemos reprová-los por isso. 143Mas isto pode ser um desvantagem para a Arte. 144Mais de uma vez aconteceu de um Alto Sacerdote ou uma Alta Sacerdotisa, impelida por amor, ir embora com seu amado. Isto é, eles deixaram o Coven. 145Agora, se a Alta Sacerdotisa quer renunciar, ela deve fazê-lo em uma reunião com o Coven completo. 146 E esta renúncia é válida. 147Mas se ela fugir sem renunciar, quem garante que não voltará em poucos meses ? 148Assim, a Lei é, se uma Alta Sacerdotisa deixar seu Coven, ela deve ser trazida de volta para que tudo seja como era antes. 149Enquanto isso, se ela tem uma auxiliar, esta auxiliar agirá como Alta Sacerdotisa enquanto a Alta Sacerdotisa não estive presente. 150Se ela não retornar em um ano e um dia, então o Coven deve eleger uma nova Alta Sacerdotisa. 151A menos que haja uma boa razão para que isso não ocorra. 152A pessoa que fez o trabalho deve receber o benefício de sua recompensa, donzela e auxiliar da Alta Sacerdotisa.

O Vínculo

153Foi visto que a prática da Arte causa uma forte ligação entre aspirante e tutor, e isto é o motivo de melhores resultados se assim o for. 154E se por alguma razão isto não for desejado, pode facilmente ser evitado por ambas as pessoas colocando firmemente em suas mentes que são como irmão e irmã, ou pai e filho. 155E por esta razão um homem pode apenas ser ensinado por uma mulher e uma mulher por um homem, e mulher e mulher não devem tentar estas práticas juntas. Que assim seja decretado.


Julgamento de Transgressões

156Ordem e disciplina devem ser mantidas. 157Uma Alta Sacerdotisa ou um Alto Sacerdote pode, e deve, punir todas as transgressões. 158 Assim, todos da Arte devem receber sua correção de boa vontade. 159Todos apropriadamente preparados, o culpado deve ajoelhar-se, sua transgressão relatada e sua sentença pronunciada. 160A punição deve ser seguida por algo agradável. 161O culpado deve reconhecer a justiça de sua punição beijando a mão ao receber a sentença e novamente quando a punição for cumprida. Que assim seja decretado.



Fonte: Morte Súbita

Federação Pagã

O que é a Pagan Federation ?

A Federação Pagã, oficialmente fundada em 1971, trabalha para tornar o paganismo acessível às pessoas que genuinamente procuram um encontro espiritual baseado nos Antigos Deuses e na Natureza.

A Federação Pagã tem 30 Coordenadores regionais na Grã-Bretanha que actuam como bases de actividade e apoio da P.F., e como P.F.Internacional está representada com Coordenadores Nacionais em 26 Países.

Os Coordenadores mantém contacto postal , via internet ou pessolamente, com os membros da sua área, ou países, se eles assim o desejarem, e estão disponíveis para os orientar nas suas dúvidas, quando necessário.

Além dos seus coordenadores nacionais e regionais, a P.F tem Organizadores locais nomeados pelos Coordenadores nacionais que
actuam nas suas comunidades . Os coordenadores podem levar a cabo Celebrações, debates, encontros e conferências, ou delegar em seus organizadores.

Em Inglaterra, a P.F. leva a cabo mais de 1000 inquéritos por ano, desde a rádio, televisão, jornais e revistas. Para além de fornecer informação geral, a P.F. fornece contactos em tradições especificas.

A P.F. conseguiu que o Paganismo fosse reconhecido como uma religião válida pelo Home Office e pela UK´s Interfaith Network e trabalha para repor a verdade do paganismo, opondo-se aos retratos difamatórios e incorrectos resultantes da intolerancia religiosa e do oportunismo pessoal, facultando informacões, enviando correcções e quando necessário, apresentando queixas nos tribunais – a P.F. tem efectivamente auxiliado em casos de discriminação religiosa nos empregos e na custódia de crianças.

Os nossos materiais educativos ( folhetos e pacotes informativos) encontram-se em várias livrarias académicas e instituições de renome, e ocasionalmente também são enviados a professores e outros profissionais, quando conveniente.

Em todos os seus esforços, a P.F. promove a exactidão factual sobre o Paganismo, a mútua tolerãncia entre fés, sem contudo se mesclar, e tenta prestar a sua melhor assistência e colaboração a todos aqueles que desejam explorar a espiritualidade Pagã ou procurem simplesmente informações sobre a nossa religião.

Pagan Federation Internacional


Os Departamentos, tal como são denominados todos os Núcleos externos da Pagan Federation, com sede em Inglaterra há 31 anos e a operarem em 26 Países, representam e actuam dentro das mesmas bases e objectivos.

O objectivo é facilitar o contacto entre os membros inscritos, se for essa a sua vontade (expressa por escrito quando da inscrição); promover encontros e debates entre os membros; o esclarecimento público e defesa dos seus ideais.

Dependendo das Leis vigentes em cada País, assim se actuará em defesa de um Membro, caso aconteça algum problema motivado por adoração em público (depois de apurados factos de que não ultrapassou riscos desnecessários, imprudência, ou exibição gratuita), ou no caso de molestamento de outros grupos religiosos.

Não nos responsabilizamos por actos propositados de provocação, indecoro ou de irresponsabilidade cívica, alheios ao espírito Pagão, nem a problemas jurídicos ou pessoais de um membro, assuntos esses externos à nossa Federação.

O objectivo é a aceitação do movimento como religião livre e também facilitar o contacto entre as pessoas de vários países. A P.F. escolhe pessoas qualificadas para Coordenadores Nacionais como os representantes oficiais em cada país, os quais trabalham para uma amena mas constante oficialização do paganismo como religião.

PFI - Portugal

Desde 1997 que The Pagan Federation nomeou Coordenadores Nacionais em Portugal. Nessa qualidade, informam que estão ao seu dispor para ajudar em algum assunto administrativo, ou caso seja já associado, na orientação de assuntos ligados ao Paganismo. Os Coordenadores Nacionais de Portugal editam um jornal em português sobre paganismo, e enquadram os seus associados em um grupo de trabalho adequado, comum a todos os membros, cuja participação e interesse depende dos mesmos.

Anualmente é actualizada uma lista de Grupos ou Individuais associados, e a pedido, é enviada aos nossos Membros que tenham as quotas em dia. No caso de termos indicações para não transmitir o contacto, apenas constará o 1º nome, e a Tradição Pagã que segue, sem quaisquer mais referências.

A Pagan Federation Internacional- PORTUGAL oferece os seguintes serviços aos seus membros:

WEB SITES – uma boa forma de estar informado!

Muitos países tem o seu próprio PFI Web site, com informações, links seleccionados, notícias, agenda de eventos etc. poderá encontrar uma lista dos nossos sites em : http://www.paganfederation.org .

PAGAN WORLD - Uma magazine sazonal na Web!

Esta revista, em inglês, contem artigos de bastante interesse, não disponível a não-membros. No caso de Membros que não tem acesso à Internet, os Coordenadores Nacionais disponibilizam uma cópia da revista impressa.

PFI CHAT LIST – Contactos informais entre NC e Membros da PFI!

Esta mailing list é em ingles e aqui pode pôr questões, falar com amigos de outros países e ler as notícias de última hora e até ter encontros com autores e nomes conhecidos no meio. Acesso só a membros. Caso deixe de ser membro será automaticamente "unsubscribed" desta lista.

PFI – LOCAL CHAT LIST

Alguns países tem também a sua lista própria de contactos entre membros. A melhor forma para expor dúvidas, receber orientações ou simplesmente falar de longe com seus Coordenadores. Portugal oferece esta serviço, através de www.onelist.com/group/PFI-Portugal

EVENTOS / REUNIÕES - Encontros informais!

Alguns países organizam reuniões (pub.moots) temáticas, ou de tema livre para os seus membros. A cargo dos Coordenadores Nacionais é organizada uma Saudação anual - consulte a secção Notícias.

Como tornar-se Membro ?


A qualidade de Membro permite-lhe, nomeadamente, assistir a eventos, reuniões sazonais e a ter contacto com o paganismo europeu através do convívio com outros pagãos, trocando ideias e esclarecendo eventuais dúvidas.

A quota anual para estes serviços é de EUR 13 (Euros). Uma forma económica de se ser membro desta Organização de nível mundial e de ter todos estes benefícios.

A filiação é permitida a qualquer pessoa de 18 anos ou mais, que se considere sinceramente pagã e que concorde com os três princípios que norteiam a Federação Pagã:

1. Amor para e afinidade com a Natureza. Reverência para com a força vital e seus ciclos de vida e morte em eterna renovação.

2. Uma moralidade positiva, segundo a qual o indivíduo é responsável pela descoberta e evolução de sua verdadeira natureza, em harmonia com o mundo externo e a comunidade. Isso é muitas vezes expresso como: "Faze o que tu queres, contanto que não prejudiques ninguém".

3. Reconhecimento do Divino, o qual transcende gênero, com aceitação tanto o aspecto feminino quanto o aspecto masculino da Divindade.

Os Pagãos que concordem com esses princípios e tenham interesse em fazer parte da Federação Pagã deverão escrever para um dos endereços ao final referidos, falando de suas experiências, interesse e vivências no Paganismo. Serão também bastante úteis comentários sobre como o interessado descobriu sua condição de pagão, sobre os livros que possa ter lido, sobre a vertente do Paganismo que lhe interessa ou que pratica, assim como outras experiências que considere relevantes e significativas. (Mas saliente-se que Pagãos iniciantes ou experientes serão recebidos da mesma forma.) Após o recebimento dessas informações, o interessado, caso aceito, receberá uma carta convidando-o a participar da Federação Pagã, acompanhada de um formulário para preenchimento. Esse formulário, devidamente preenchido, deverá então ser devolvido aos Coordenadores da Federação Pagã do seu país.

A Federação Pagã reserva-se o direito de recusar um pedido de admissão a Membro efectivo.

Toda a correspondência enviada, deve ser sempre acompanhada de envelope já selado, para resposta.

Para se inscrever como membro da PFI, procure contacto na nossa morada:

P.F.I. -PORTUGAL
APARTADO 24170
1251-997 LISBOA

ou enviando um e-mail para pfiportugal@pt.paganfederation.org.

Retirado de: Morte Súbita

O circulo Magico


Existem várias maneiras de se traçar um Círculo, você pode usar uma das mais simples:


1. Pegue a VARINHA Mágica ou o ATHAME e vá até o Norte.

2. Visualize um raio, tipo um laser, saindo da ponta do seu objeto escolhido.

3. Dê uma volta, devagar, no sentido horário, até chegar novamente ao Norte.

4. Então diga:
- "Pelo poder da Deusa e do Deus, eu traço este Círculo Sagrado.
Deste espaço nenhum mal sairá, e nele nenhum mal poderá entrar
"!

Depois de traçar o Círculo, você deve invocar os Guardiões dos quatro Quadrantes, acendendo uma VELA ...

Vermelha
Quadrante: Leste;
Representa: Nascer do Sol;
Elemento: AR;


Branca
Quadrante: Sul;
Representa: O Sol do meio-dia;
Elemento: FOGO;


Azul
Quadrante: Oeste;
Representa: O Crepúsculo;
Elemento: ÁGUA;


Preta
Quadrante: Norte;
Representa: A meia-noite;
Elemento: TERRA;

Agora se deve invocar a Deusa e o Deus, vá até o centro do Círculo e faça as invocações. Elas podem ser as seguintes:

- "Deusa graciosa, você é a Rainha dos Deuses; A Lâmpada da noite; A criadora de tudo que é selvagem e livre; Mãe das mulheres e dos homens; Amante do Deus e protetora de toda a Wicca; Descenda, eu suplico; Com seu raio de força lunar; Aqui, sobre o meu Círculo".

- "Deus brilhante, você é o Rei dos Deuses; Senhor do Sol; Mestre de tudo que é selvagem e livre; Pai das mulheres e dos homens; Amante da Deusa e protetor de toda a Wicca; Descenda, eu suplico; Com seu raio de força solar".



Começa então o RITUAL de abertura do Círculo, e cada participante agradece a Deusa por estarem presente e falam:

LESTE: Salve os Guardiões das Torres do Leste. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do AR , vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.

SUL: Salve os Guardiões das Torres do Sul. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do FOGO , vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.

NORTE: Salve os Guardiões das Torres do Norte. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do TERRA , vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama.

OESTE: Salve os Guardiões das Torres do Oeste. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do Água, vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama. A Alta Sacerdotisa, ou Sacerdote, desenha o Pentagrama de Invocação e o RITUAL começa.

FECHANDO O CÍRCULO


A Alta Sacerdotisa e o Sacerdote agradecem à Deusa e ao Deus por terem estado presentes, e aos Elementos. Casa pessoa volta ao seu lugar e diz:

LESTE: Salve os Guardiões das Torres do Leste. Poderes do AR , nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Leste, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

SUL: Salve os Guardiões das Torres do Sul. Poderes do FOGO , nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Sul, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

NORTE: Salve os Guardiões das Torres do Norte. Poderes da TERRA , nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Norte, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

OESTE: Salve os Guardiões das Torres do Oeste. Poderes do Água, nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Oeste, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

A Alta Sacerdotisa, desenha o Pentagrama de expulsão e mais uma vez agradece, e só então se fecha o Círculo com o ATHAME de novo, dizendo três vezes:

"O CÍRCULO SE DESFAZ, MAS ELE NUNCA SE ROMPE"

Ainda em forma de Pentagrama, faça uma meditação e visualize, o Círculo em tons de azul, subindo em direção aos DEUSES .

Fatos sobre a Swástica





Desde que o ser humano aprendeu a observar o mundo a sua volta, ele começou a se aperceber de quão variados são os desenlaces do meio em que vive, e começou então a notar os pontos de similaridade que subsistem no mesmo. Desta forma, já os neandertais e cromagnons entenderam que a estrutura percebida no decorrer do tempo, se posicionava em repetições em maior ou menor escala, dos dramas terrestres e estelares com os quais lidava em seu dia a dia.

Viam estes povos anteriores ao homo sapiens, que da mesma forma que a lua cresce e míngua no céu, as mulheres passavam por ciclos similares e vinculados a mesma quantidade de tempo, e a terra somente gerava frutos segundo a estação do ano, com base na presença de umidade e sol na quantidade correta (nem mais nem menos), para gerar vida, tanto e da mesma forma como a geração de novos membros de cada tribo acabava por ocorrer.

O drama da primavera os levou a observar a verdadeira festa da natureza, onde as flores após uma estação inteira de frio interminável e pouca caça, desabrochavam em meio a um clima morno e amistoso, onde os animais em puro êxtase passavam pelos ciclos de acasalamento.

Depois seguia-se o verão e a luz, em oposição ao frio do inverno e sua neve, onde havia fartura de caça e tempo para festas e jogos.

A seguir eram brindados com uma estação onde os frutos em enorme quantidade lhes eram ofertados pela mãe natureza, e onde contemplavam a natureza tornando-se avermelhada preparando-se para o frio que viria (pois no norte do planeta, realmente a maioria das folhas dos vegetais muda de cor para o vermelho, no outono, antes de caírem).

E por fim vinha o inverno, onde por força de necessidade aprenderam a guardar alimentos e estocá-los da melhor forma que podiam, e a manterem-se reunidos para estarem protegidos do frio e dos predadores, que expostos a falta de caça, começavam a atacar os bandos de humanos desprotegidos ou fracos, como em verdade rege a lei natural do forte suplantando o fraco.

Nestes períodos de aconchego familiar, contavam histórias do passado, de seus heróis, dos feitos da tribo, e viam o sol chegar no ponto máximo de queda no horizonte, do dia 22 a 24 de Dezembro, em meio ao frio do hemisfério norte, para no dia 25 de dezembro erguer-se mais uma vez, para voltar a travar a batalha que os símbolos da tribo representavam, com histórias e mitos.

No período de 22 a 24 de Dezembro, o Sol entra na perfeita polarização com o cinturão de Orion, chamado no Brasil de 3 Marias e no restante do Mundo de “...Os Três Reis Magos...”, e então se alinham diretamente com SÍRIUS, a estrela que regula a órbita do sol, e grande astro celebrado por egípcios e sumérios (Sothis e Kaksisa).

A Swástica lida com a idéia de Fluxo, do decorrer do ano, das estações fluindo aumentando e minguando, e com o seu passar ocorrendo ao mesmo tempo em que o aprendizado sobre a vida e seus estatutos simbólicos eram aprendidos por todos na tribo, sobre tudo pelos mais sensíveis a observação destes estatutos, aqueles que foram depois taxados com o título de Xamãs.

Ela lida com o decorrer do tempo, e ao mesmo tempo que a sociedade humana foi se desenvolvendo, o entendimento dos fluxos das estações e da vida, que são plenamente observáveis nela acabaram por sofrer complementos, ao mesmo tempo em que o conhecimento do universo e do mundo acabava por se expandir.

Assim na Mesopotâmia e no Egito, o conhecimento a cerca das estações e o desenvolvimento da astronomia e da matemática, levou ao entendimento do diâmetro da terra via o cálculo do que depois foi chamado de Número “...PI...”, que inclusive foi usado para a construção tanto dos Zigurates sumérios quando das Pirâmides do Egito (sobretudo das maiores e mais antigas).

Disto e do estudo das estações e da rotação estelar, acabou sendo gerado o entendimento a cerca do giro da terra e do tempo que o mesmo levava, assim como dos tempos do calendário Venusiano e Lunar, e por fim do calendário Solar.

Deste conhecimento evoluiu o cálculo do tempo em que o sol levaria para dar uma volta em torno do Astro que regula sua própria órbita (Vega contrabalanceada por Sírius), e notou-se que se a órbita anual solar da Terra é no sentido de Leste para Sul, contrário se dá com a órbita e com o decorrer do grande ano estelar.

A Swástica que representa o movimento horário e solar indica fluxo e giro para a direita, quando vista de frente, assim como aquela que determina o giro do grande ano estelar, perfaz seu movimento para o sentido anti-horário.

Mas a coisa não parou apenas nisto, pois uma vez que o estudo das constelações veio a nascer, a observações do giro horário e anti-horário também teve seu ponto de contato ali, uma vez que ambos os giros levam em consideração 12 constelações que são usadas na astrologia (tanto a de características gregas quanto a de características hindus e Tibetanas – ambas tendo sua origem nos trabalhos sumérios e egípcios).

As pontas básicas da Swástica, vinculadas aos signos que estavam vinculados ao ponto onde ocorria o ápice de poder de cada estação do ano, vieram a ser vinculados com as Constelações ligadas justamente aos períodos do ano que estavam mais afetados por cada uma das estações.

Assim Aquários veio a estar ligado ao Ar, por conta dos ventos frios do inverno no norte do planeta, e Leão ao Fogo pela plenitude do Verão que ocorre na metade Agosto, no hemisfério norte.

Touro eclode juntamente com o ápice da Primavera, e lida com a potência do macho ativada pelos ciclos e cio da fêmea, nesta estação.

E escorpião lida com o período de plenitude do Outono, quando então a natureza fica avermelhada como o Coração Vermelho da Constelação de Escorpião, ou seja Antares sua estrela alpha.

Os demais Oito Signos estão presentes na equação representativa da Swástica, como parte do sistema de fluxo durante o giro da Swástica de uma estação a Outra.

O que nos leva aos princípios do Kalachacra, a roda do Tempo do deus tibetano Mahakal (Shankara para os Hindus), pois o tempo tudo devora, e somente o que é imperecível devora o tempo.

Justamente esta estropia presente no fluxo do tempo, no decorrer das estações, implica no giro da Swástica para o Bonpo (o sistema de shamanismo que havia no Tibete antes do budismo, e que não podendo ser sobrepujado pelo mesmo, foi absorvido e mantido como uma forma de Budismo com todas as suas tradições preservadas nele).

No Bonpo, a Yungdrung (swástica) é o próprio Mahakal e o Kalachacra em si mesma.

É vista por esta característica marcante ligada ao tempo, como sendo o Sol muitas vezes, o que é interessante no caso Eslavo, Hindu e Nórdico pois nestes países Sunen, Suria e Sowelo são os nomes das Deusas que representam o sol nas tradições originais destas regiões, e no caso nórdico o símbolo de Sowelo ou Siegil, é a Runal Sig, que é uma construção simples da Swástica expressando o seu giro.

Este é o motivo real para que o nome “...Swástica...” signifique em sânscrito :

“...Sw - bom ou bondade; Asti – que virá a ser; Ka – sufixo. E sua combinação implica simplesmente bondade que virá ou será colhida...”

Disto provém o contexto da Swástica coligada a Lua, pois da mesma forma que a mulher da a vida, e sempre foi vista em muitas culturas como uma expressão desta (apesar de o caso nórdico, sumério e eslavo apontarem os deuses lunares como masculinos, mas tendo elementos vinculados aos princípios femininos em vários de seus elementos de representatividade), como é o caso de Urd, Skuld e Verdank (passado, futuro e presente), que são as Nornes, ou Nwarns, responsáveis por tecer o destino dos homens (tais e quais as Parcas gregas ou as Iabas da tradição ioruba africana).

A face sem luz do sol, ou face sombrio era identificada com a fúria feminina, e com os atos de desfecho funesto ou punitivo, como podemos notar na representação da Morrigan ou Morgana dos celtas, ou na Deusa Freia ou na deusa Skhad dos Nórdicos.


Livros de Magia Negra

Sempre tem alguém me pedindo aquelas receitas milagrosas de asa de morcego e pele de sapo, igual aos programas de TV. Estes manuais de magia negra realmente existem e podem ser comprados em livrarias comuns, mas infelizmente os ingredientes são tão difíceis de encontrar quanto aparentam (ou você tem rolos de pele de leão na dispensa?) e suas receitas nem sempre funcionam de forma tão imediata ou literal. Na verdade, o sucesso do mago-negro depende muito mais do seu comprometimento com a matéria do que da perfeição com que as receitas são seguidas. Quem não estiver preparado nunca enxergará nada além de um amontoado de absurdos inúteis (ou acabará fervendo gatos).

Em sonhos Lúcifer me mandou ler o Satiricom, atribuído a Petrônio, e o corpus aristotelicum (obras completas de Aristóteles). Também disse que jogos de RPG, como o “Vampiro: A Máscara” são recomendáveis para principiantes. Eu concordo plenamente com ele, pois estas obras ajudam o leitor a adquirir senso crítico complementar à técnica seca dos manuais. Mas se você for suficientemente sagaz para ligar os pontos encontrará muitas das principais instruções dentro do discurso de seus adversários. (Especialmente na própria Bíblia e alguns apócrifos judaicos, como I Enoch).

IMPORTANTE:

  • Se seu objetivo for única e exclusivamente tirar o peso na consciência e levantar a bandeira do “sexo não é pecado”, pare de perder tempo. Ninguém precisa virar ocultista, satanista, cabalista, vampiro, etc., para manter atividade sexual.
  • Se você não crê em nada não precisa virar ocultista, satanista, cabalista, etc. Para que perder seu precioso tempo com um diabo que não existe? Se você gosta tanto de Freud ou Jung faça um curso de psicologia, substitua os livros de ocultismo por obras mais apropriadas, ganhe dinheiro na profissão que você ama e seja feliz! (Não é mais fácil e sensato procurar o auxílio de um intérprete profissional do que fazer um ritual DE MALUCO para entender um arquétipo?).

Tenha em mente que existe uma hierarquia entre os manuais. As fontes de origem judaica serão sempre superiores aos derivados cristãos. (Por “fonte cristã” me refiro a todo livro que mencione o nome de Jesus, mesmo que esteja listado no Index de livros proibidos da Igreja Católica e por “fonte judaica” me refiro a obras que forem 100% de origem judaica, como o Zohar e o Les Clavicules de Salomon).

Antes de comprar um manual tenha em mente que ler a Bíblia hebraica (não necessariamente em hebraico, se você não for capaz) é pré-requisito para entender a verdadeira magia negra e, subseqüentemente, os manuais. É lá que você vai encontrar as primeiras instruções sobre como montar um bamah ou templo na floresta e a forma de conduzir sacrifícios (por exemplo, no Livro do Êxodo, do capitulo 25 ao 31), bem como preciosas informações sobre demonologia. Baixe o Talmude grátis na internet e se possível leia o Zohar (entre muitas outras coisas, nesse livro há um tratado de quiromancia maravilhoso). Ignore telemitas e satanistas modernos que venham ocasionalmente falar contra sua fé. Embora sejam taxados pela literatura evangélica como “farinha do mesmo saco” eles não são diabolistas de verdade. No mais, esta é a lista de alguns dos principais manuais escritos por e para quem acredita:

CLAVÍCULAS DE SALOMON: Libro de Conjuros y Fórmulas Mágicas. Barcelona, Editorial Humanitas, 1997. (Fonte judaica. Contém tradução e cópia em fac-símile do manuscrito da Biblioteca Nacional da França, Les Clavicules de Salomon, realmente datado de 1641).

EL GRAN GRIMORIO DEL PAPA HONORIO COM UMA RECOMPILACIÓN DE LOS MAS RAROS SECRETOS MÁGICOS: Roma, 1760. Barcelona, Editorial Humanitas, 1995. (Fonte cristã, com forte influência judaica. O original traz a data ‘1760’, mas na verdade foi escrito no século XIX).

SHAH, Idries (org). A Tradição Secreta da Magia. Trd. Roberto B.O. Goldkor. Rio de Janeiro, Bertrand, 1995. (Coletânea de diversos manuscritos, a maioria do século XIX com datas falsas. Fontes judaico-cristãs).

AGRIPPA, Cornélio. Filosofia Oculta. Trd. Hector V. Morel. Argentina, Kier, 1998. (Tradução do De Occulta Philosophia, datado realmente de 1510. Fonte cristã, alquimista).

BARRET, Francis. Magus: Tratado Completo de Alquimia e Filosofia Oculta. Trd. Júlia Bárány. São Paulo, Mercuryo, 1994. (Trata-se de um resumo comentado do De Occulta Philosophia, editado em Londres no ano 1801. Compensa ter os dois, mas não apenas ele).

O GRANDE E O PEQUENO ALBERTO. Trd. Raquel Silva. Lisboa, Edições 70. (Parte do Grande Alberto remontam realmente ao século XV, conforme provado pelo estudo histórico de Bernard Husson, de 83 páginas, que introduz o livro. Foi uma das fontes bibliográficas do De Occulta Philosophia. Fonte cristã).

SCHOLTEN, Max. El Libro de San Cipriano. Barcelona, Dalmau Sacías. (Século XX. De ‘São Cipriano’ só tem o nome, pois não deriva das versões integradas à obra de Hebe. Fonte judaico-cristã).

MARIUS, Dorius C. (pseudônimo de Hebe). São Cipriano: O Mago e o Santo. Rio de Janeiro, Monterrey, MCMXCV. (Não é um manual. Obra espírita psicografada no século XIX por Hebe).

N. A. MOLINA. Antigo Livro de São Cipriano. Rio de Janeiro, Espiritualista. (Versão da obra de Hebe enriquecida com grande profusão de receitas e variedades. Fonte cristã, utilizada na umbanda/quimbanda).

MATHERS. S. L. MaCgregor. El Grimorio de Armadel. Trd. Javier Tapia Rodriguez. Barcelona, Editorial Humanitas, 1987. (Fonte cristã, autor co-fundador da Ordem Hermética da Aurora Dourada).

MATHERS. S. L. MaCgregor (se fazendo passar por ‘Abraão, o Judeu’). O Livro da Magia Sagrada de Abramelin, o Mago. Trd. Norberto de Paula Lima, Márcio Pugliesi e Edson Bini. São Paulo, Anúbis, 1997. (Fonte cristã. Autor co-fundador da Ordem Hermética da Aurora Dourada).



Fonte:http://www.mortesubita.org